Picanha e outras gostosuras com sal grosso, ao forno

Exceto quando o assunto é churrasco, no restante do tempo o sal grosso é condenado a ficar confinado no armário de mantimentos. Mas por que? Nas receitas abaixo, ele mostra que faz muito bem o papel de argamassa, quando misturado à clara de ovo, permitindo que as carnes assem no forno sem perder a umidade. Ouse, experimente e verá que as carnes ficam salgadas somente na medida perfeita. Fora da cozinha, o sal grosso tem muitas outras utilidades.  Mas é sempre bom lembrar: evite o excesso de sódio. Veja a vídeo-receita de picanha no sal grosso.

Curiosidade: flor de sal 
Com o auxílio de um rodo próprio para isso, a flor de sal é “varrida” com delicadeza da superfície das salinas. Tem uma textura crocante e sabor concentrado, e é um “must” da gastronomia. Ao contrário do sal de cozinha, a flor de sal é acrescentada ao final do cozimento, já no prato, e é tratada com um ingrediente de luxo. Um dos mais famosos é o Sel de Guérande (foto), colhido à mão nas salinas daquela cidade medieval francesa.

Fora da cozinha
Revitalizante – em uma bacia funda coloque água a 37 ou 38o C (levemente acima da temperatura da sua mão) e espalhe dentro dela três a quatro colheres de sopa de sal grosso. Sente-se confortavelmente e deixe seus pés relaxarem nessa água por 15 minutos, ou até a água começar a esfriar. Manda embora o cansaço, revitaliza e é ótimo para aquecer os pés antes de dormir.
Esfoliante – o processo se chama gomagem. Misture sal grosso a algumas colheres de óleo de amêndoas e alguma essência relaxante (pode ser um chá bem forte de camomila, por exemplo). Aplique a mistura nos pés, joelhos, cotovelos, parte posterior das coxas e nádegas, esfregando com delicadeza afim de eliminar as células mortas. Enxague as partes esfoliadas com água morna, seque e aplique um hidratante.
Xô, mau olhado! – dizem que manter um copo cheio de sal atrás da porta de casa filtra as energias negativas. O sal deve ser trocado uma vez por semana.

Picanha ao forno no sal grosso
Uma receita que é campeã. Todos amam fazê-la porque não tem erro, sempre fica boa. Veja a vídeo-receita, em imagens e edição de Daniel Queiroz. Medidas estão logo abaixo do vídeo.
Agradecimento: Jornal Notícias do Dia.

1 picanha – em torno de 1kg
2 kg de sal grosso
2 claras

Tempero
2 colheres (sopa) de mostarda Dijon
2 colheres (sopa) de folhas de tomilho

1. Numa tigela, misture o sal com a clara.
2. Com uma faca muito afiada faça sulcos na gordura da carne. Numa frigideira muito quente, sele a picanha colocando primeiro o lado da gordura, e depois o outro lado - em torno de 2 minutos de cada lado, e reserve. Pincele a picanha com a mostarda e polvilhe as folhas de tomilho.
3. Espalhe aproximadamente 1/3 do sal numa assadeira, e coloque a picanha. Cubra-a completamente com o restante do sal, pressionando levemente. Não se preocupe: a carne ficará salgada no ponto certo.
4. Leve para assar em forno bem (máximo) quente a 220oC por cerca de 20 minutos, para obter a carne ao ponto.
5. Tire do forno.
6. O sal grosso vai ter se transformado em uma grossa camada. Quebre cuidadosamente a crosta de sal no momento de servir.

Peixe em crosta de sal
1 peixe de carne branca inteiro e limpo de cerca de 1,2 kg (indico o pargo)
3 colher (sopa) de endro picado
2 colheres (sopa) de salsinha picada
2 colheres (sopa) de cebolinha picada
4 rodelas de limão
3 colheres de sopa de azeite extravirgem
pimenta-do-reino moída na hora
1,5 kg de sal grosso
2 claras de ovo (cruas)

1. Recheie o peixe com as ervas, as rodelas de limão, o azeite e a pimenta. Reserve.
2. Numa tigela, misture o sal com a clara. Espalhe aproximadamente 1/3 do sal numa assadeira, coloque o peixe sobre essa cama de sal e cubra-o completamente com o restante do sal, pressionando levemente.
3. Leve para assar em forno preaquecido a 200ºC por cerca de 40 minutos.
4. Quebre cuidadosamente a crosta de sal no momento de servir.

Comentários

Postagens mais visitadas