Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

sexta-feira, novembro 28, 2014

28/11/2014 - Nobres chefs sem segredos

por Luciane Daux
“Quem divide, multiplica”, diz minha amiga e aluna Cinthia Balsini. Penso assim também e, como eu, os desprendidos chefs, cozinheiros e gourmets que, semanalmente, ajudam a construir essa coluna, contando seus “segredos” de cozinha.  Se fosse citá-los, certamente cometeria alguma indelicadeza por conta da falta de memória, pois são muitos. A vocês, que dividem seu conhecimento gastronômico, permitindo que nossos leitores - pessoas comuns – reproduzam como verdadeiros chefs as suas fantásticas receitas, agradeço e dedico a coluna de hoje.

Luciane Daux
Sucesso do Gastronômade
Ir a um Gastronômade é uma experiência extraordinária, dessas que a gente sempre quer repetir e repetir. O cenário do último final de semana foi a Vinícola Villaggio Grando, em Água Doce, meio oeste catarinense. A chef Manu Buffara apresentou, para os 130 convidados, um cardápio que valorizou os produtos regionais catarinenses (como o porquinho em fogo de chão, delicioso!) e outros que fazem já sucesso no seu restaurante Manu, de Curitiba, como o Arroz Caipira do Manu com gema mole (foto). Tudo sempre harmonizando com os vinhos VG. A próxima etapa do Gastronômade acontece amanhã, em Punta Del Este, nas Colinas de Garzón (Bodega Garzón), tendo como chef Lucía Soría.

Rancho Queimado e a Festa do Morango
Começa hoje e vai até domingo, no Parque do Morango, em Taquaras, a 23ª edição da festa que tem feiras de artesanato e gastronomia, apresentações culturais, desfile, bailes e o principal: morango, a fruta objeto de desejo de 10 entre 10 pessoas. Que tal um passeio ao belo município vizinho?

Vivá Cacupé/Divulgação
Chef Klaus Pahl recebe confrarias no Lounge Vivá
O surgimento crescente de confrarias – de vinho, charuto e outros – faz com que cada dia mais sejam procurados espaços de boa gastronomia onde seja permitido levar seu objeto de desejo. Neste caso, o vinho, sem cobrança de rolha. O chef Klaus Pahl, em parceria com os empreendedores do Vivá Residence Cacupé, agora atende eventos exclusivos, jantares privados com no máximo 18 pessoas, no Lounge Vivá, no bairro Cacupé. No cardápio, delícias como a quirera cremosa com linguiça Blumenau, cogumelos e croutons (foto). Informações e reservas pelo telefone  9165-6161.



Divulgação
Gargouillou 
1 abobrinha verde                                
2 mini cenouras                                 
½ bulbo de erva doce      
80g de grãos de milho verde                        ½ bandeja de ervilha torta                           8 unidades de cada cogumelo: Paris, shitake  e rosa   
3 unidades de nabo vermelho                      
Ervas frescas (tomilho, manjericão, salsa crespa) a gosto 
8 buquês de brócolis                                            
¼ de bandeja de micro verdes                                  
Flores comestíveis (opcional)                    
2 unidades de peito de Pato (magret)                                
2 colheres de sopa de azeite de oliva                            
2 colheres de sopa de manteiga com sal                        
Flor de sal e pimenta do reino  a gosto

1. Selecione os legumes, higienize e descasque os que devem ser descascados.  Com a abobrinha, erva doce, cenoura e nabo faça fatias finas na mandolina. Com os brócolis faça pequenos buquês. Exceção ao nabo, passe o restante dos legumes por 3 minutos em água fervente e salgada, em seguida em água gelada para interromper o cozimento, reserve. Faça o mesmo com as ervilhas, reserve. Higienize as folhas, reserve a frio. Higienize as ervas e separe em 4 porções.
2. Faça um pequeno x com uma faca pequena no fundo dos tomates cereja, passe-os na água quente para soltar a pele. Limpe os cogumelos, corte os cogumelos em 4 partes e reserve.
3. Limpe os peitos de pato, com a ponta da faca faça losangos na gordura bem superficialmente, não chegando à carne, em uma frigideira quente coloque-os com a pele voltada para baixo, tape-os e deixe até que a gordura esteja bem dourada, passe o outro lado da carne rapidamente (não mais que 2 minutos) . Retire, tempere com sal e pimenta do reino a vontade, deixe descansar por 5 minutos antes de fatiar.
4. Montagem: Em uma frigideira adicione 40 ml de água e a manteiga, deixe que a manteiga derreta por completo, sazone, adicione os legumes e salteie rapidamente, escorra. Corte o magret de pato na longitudinal e depois faça fatias finas na horizontal, disponha-o nos pratos harmoniosamente junto aos legumes, finalize com as ervas e um fio de azeite. Bom apetite.
5. Receita da Chef Joyce Francisco, exclusiva para a coluna.


Dany Fuck
Coquile de camarão
1 kg de camarão Sete Barbas
750 g de molho branco
125 g de requeijão cremoso
50 g de cebola picada
30 ml de azeite de oliva
Salsinha

1.        Refogue a cebola no azeite. Quando estiver transparente e bem quente coloque o camarão (já temperado) para selar. Assim que mudar de cor junte o molho branco e o requeijão.
2.        Deixe ferver para homogeneizar os sabores e então coloque a salsinha. Está pronto.
3.        Para servir use a casca da vieira natural encontrada em peixarias ou as de cerâmica, que pode ser encontradas em lojas de utensílios para cozinha. 
4.        Rendimento da massa é de aproximadamente 1,7kg, rendendo 8 porções.
5.        A receita é de Murilo Mafra Filho, do restaurante Bate Ponto, que recebeu o prêmio Veja Comer & Beber Santa Catarina 2014/15 como o melhor restaurante de peixes e frutos do mar.


terça-feira, novembro 25, 2014

25/11/2014 - Gastronômade sob o céu do meio oeste catarinense

A extraordinária experiência de pertencer à tribo que 
segue e reverencia os prazeres da mesa e da taça

Foto: Monica Correa.
Paulo e Miriam Machado, Monica Buffara e eu
fazemos parte dessa tribo. Foto: Alexandre Fachin.
Adoro escrever sobre gastronomia, mas - como em qualquer editoria - há pautas que mexem mais com meu coração de cozinheira, e, nesse caso, com meu pezinho nômade. O projeto Gastronômade Brasil é um desses assuntos que me emocionam ao contar para o meu leitor. Também um dos mais complexos, pois como fazer o leitor sentir o mesmo prazer que eu, sem ter estado "lá"? Sem ter visto o que meus olhos viram, e sem ter degustado o que me foi proporcionado?

Trazido para o Brasil pela empresária Renata Runge, o projeto original é o Outstanding in the Field (OITF) - no Brasil conhecido como Gastronômade -, e já percorreu os Estados Unidos, Canadá e alguns países da Europa.  A ideia é promover um encontro gastronômico,  vinhos e produtos regionais em um cenário de tirar o fôlego.  A próxima edição vai acontecer nesse sábado, em Punta del Este, nas Colinas Garzón (Bodega Garzón).


Villaggio Grando, em Água Doce. Uma vinícola-boutique, palco perfeito para o grande almoço ao ar livre.
Foto Luciane Daux

Maurício Grando, o elegante anfitrião,
brindando comigo, Nalu e Camila
Diavan. Foto Monica Correa.
Já faço parte dessa tribo, tendo estado em três edições do Gastronômade Brasil. Na primeira vez que fui, na Ponta da Piteira, o visual deslumbrante, somado à criatividade do chef andré Vasconcelos, foi arrebatador. Na segunda oportunidade, o chef Klaus Pahl fez um banquete a céu aberto - e que céu - na Vinícola Villaggio Grando, em Água Doce, meio oeste catarinense. E nesse mesmo lugar, estive no fim de semana para a 31a edição desse evento, dessa vez sob os encantos e sabores da chef Manu Buffara e os vinhos VG.


A começar pela própria Vinícola Villaggio Grando, tudo surpreendeu, até mesmo o sol, que teimou em sumir durante toda a semana anterior. O casal Maurício e Josi Grando, e o filho Guilherme, proprietários da VG, foram incansáveis na recepção e hospitalidade perfeitas.


A turma da nossa van: o prazer do evento começou muito
antes, desde nossa saída de Chapecó. Foto: Alexandre Fachin
Foram 130 gastronômades de vários lugares de Santa Catarina, e mesmo de outros estados, reunidos em torno da enorme e sinuosa mesa sob as araucárias nativas da Vinícola. Em poucos minutos, arrebatados pela beleza do local e pelos vinhos VG, já estávamos todos muito à vontade, enquanto convidados continuavam chegando de helicóptero, BMWs e vans. O sol ainda estava quente - pelo horário de verão -  quando os primeiros gastronômades pensaram em retornar às suas casas, certamente já planejando, como nós, o próximo encontro.
Chef Manu Buffara. Foto: Luciane Daux


A chef Manu Buffara, do Manu (de Curitiba), pulso firme na direção de sua equipe, foi incansável mesmo aos quase oito meses de gravidez. Seu cardápio foi inspirado em produtos regionais, como o porquinho assado em fogo de chão e servido com purê de banana, o ceviche quente com tartar de abacate e o arroz caipira com gema mole (fantástico).

Enfim, mais um dia perfeito sob o céu que nos protege.


Arroz Caipira do Manu com gema mole. Foto: Luciane Daux
Ceviche quente com tartar de abacate e dados de melancia. Foto: Luciane Daux









sexta-feira, novembro 21, 2014

21/11/2014 - Sabores de Santa Catarina

por Luciane Daux
Achados gastronômicos que carregam consigo uma memória afetiva. Receitas que foram passadas de geração em geração e se mantêm vivas, gerando riqueza e movimentando a economia. Ou simplesmente aquilo que a natureza deu, tão prodigamente, a Santa Catarina, e que hoje representa nosso Estado com excelência, como a ostra.

Fotos Divulgação
Sabores só nossos
Alguns sabores são emblemáticos para os catarinenses, como por exemplo: Vinhos das Terras de Altitude de SC, Lingüiça Blumenau (foto) , Cachaça de Luis Alves, a Cerveja Antarctica de Joinville, a Cerveja Bayer de Tijucas, a tainha e a bottarga (ova de tainha salgada e seca) produzida em Itajaí. Quais outros você se lembra?
·         Ostras – Cultivadas por mais de mil produtores, entre os municípios litorâneos de Garopaba e São Francisco do Sul, as ostras de Santa Catarina são consideradas as melhores do Brasil.
·         Farinha de mandioca – Nossa farinha fininha e branca, do jeito que gostamos, é assim produzida desde, praticamente, a chegada dos colonizadores açorianos, que trouxeram consigo o know-how da moagem do trigo e adaptaram à cultura indígena da mandioca.
·         Guaraná Pureza (foto)  – Produzido desde 1905 por Bebidas Leonardo Sell, uma empresa familiar já na 5ª geração, em Rancho Queimado.
·         Laranjinha Max Wilhelm Desde 1925, da empresa Max Wilhelm, em Blumenau.
·         Tablete Dalva – Doce de coco em tablete, produzido em Florianópolis desde 1946.


Villaggio Grando
Gastronômade em SC neste domingo
Acontece nesse domingo, na Vinícola Villaggio Grando (Água Doce/SC),  o Gastronômade Brasil - Edição Vinícolas. A chef curitibana Manu Buffara assinará e executará o cardápio e vai apresentar pratos como o ceviche quente, brandade de abacate e melancia com manjericão,  certamente uma boa harmonização com o Espumante Brut VG. Na próxima coluna conto os highlights do evento.







Divulgação
Curso de afiação de facas
Uma cozinha sem boas e bem afiadas facas é uma tragédia para qualquer cozinheiro, desde os chefs aos gourmets de plantão. O site Super Chefs traz a Florianópolis o curso Facas, Tipos der Aço Forja e Afiação, ministrado por Peter Hammer, especialista em afiação e cutelaria e assessora chefs como Alex Atala e Flávia Quaresma. Hammer  vai ensinar como afiá-las. O curso acontece em duas turmas (matutino e vespertino) na Assesc,  no dia 29/11. Investimento: R$ 200,00. Maiores informações: contato@superchefs.com.br e http://www.superchefs.com.br/

Divulgação
Panettone Bicho de Pé
Famosa pelo seu docinho cor-de-rosa, batizado e patenteado como Bicho de Pé®, a doceria Amor aos Pedaços do Shopping Iguatemi já recebeu o panettone inspirado no seu maior sucesso. Vem com bisnaga recheada com o doce e açúcar cristal para ser preenchida e decorada pelo próprio consumidor. 


Luciane Daux
Ostras ao bafo
1 dúzia de ostras (somente as que estiverem bem fechadas)
1.        Em uma panela grande coloque uns dois dedos de água, apenas o suficiente para fazer vapor.
2.        Coloque ali as ostras, em fogo médio, sacudindo a panela de vez em quando até que elas abram.
3.        Retire, abra e mantenha-as na casca, do lado da “barriga” (côncavo), para que o sumo fique preservado. Não acrescente sal!
4.        Sirva com limão, simplesmente, ou com vinagrete. Ainda pode colocar molho branco e parmesão por cima e levar ao forno para gratinar.

Chef Kenzo
Risoni Mediterrâneo com bottarga
250g de macarrão risoni (em formato de arroz)
1 ova de bottarga de 50g
400g de camarões
400g de mexilhões (mariscos)
¾ xícara (chá) de suco de limão para temperar
1 cebola média
2 dentes de alho
1 maço de cheiro verde
Sal, pimenta do reino e azeite
Tomates cereja sortidos

1.        Tempere os camarões e os mexilhões com o suco de limão.
2.        Frite a cebola e o alho no azeite, acrescente os frutos do mar e deixe refogar por alguns minutos.
3.        Cozinhe o macarrão, passe em água fria e junte os frutos do mar, os tomates e o cheiro verde  picado. Regue com azeite de oliva, acerte o sal e misture delicadamente.
4.        Finalize com lâminas da bottarga gold.
5.        Receita e foto do chef Kenzo.


quarta-feira, novembro 19, 2014

VINHOS | A sequência ideal

Por Irineu Guarnier Filho
As Boas Coisas da Vida Existe uma sequência ideal para servir diferentes tipos de vinhos? Sim, existe. Baseada em séculos de experimentação. Claro que você pode adotar ou não a ordem de serviço universalmente consagrada. Mas certamente irá desfrutar muito mais os aromas e sabores desta bebida maravilhosa se seguir algumas regrinhas bem simples. O melhor é começar sempre pelos vinhos mais jovens e mais leves – com menos cor, álcool, taninos ou tempo de barrica – para chegar depois aos mais velhos e mais encorpados. Por quê? Porque se você começar pelos vinhos mais potentes, eles irão, digamos, entorpecer os seus sentidos - e ofuscar as qualidades dos vinhos mais delicados. Divulgação
Espumantes Assim, o melhor é começar o serviço por um espumante brut, extra-brut ou nature (com pouco ou nenhum açúcar residual). Se houver um espumante branco e outro rosé, comece pelo branco, que geralmente tem menos estrutura. Um Charmat (segunda fermentação em autoclaves) antes de um Champenoise (segunda fermentação na garrafa). Os espumantes podem servir de aperitivo ou escoltar uma entrada leve ou uma salada. Devem ser servidos entre 5 e 9 graus Celsius.

Brancos Depois disso, já dá para passar aos vinhos brancos. Também neste caso, se houver mais de um, do menos alcóolico para o mais alcóolico, do sem passagem por barrica ao barricado, do mais fresco ao mais untuoso, do mais jovem ao mais antigo. O vinho branco geralmente acompanha peixes, aves ou massas com molho branco. Deve ser servido bem frio: entre 7 e 10 graus.
Divulgação

Rosés O próximo vinho pode ser um rosé – que já tem alguma presença de taninos e geralmente um pouco mais de estrutura que um branco leve. Os rosados são bem versáteis. Tanto podem acompanhar carnes brancas quantos as vermelhas – desde que os pratos não sejam muito temperados. Podem ser servidos gelados, como os brancos, ou um pouco menos frios: em torno de 10 graus. Tintos Chegamos aos tintos, que geralmente acompanham o prato principal de uma refeição, sobretudo se esta for à base de carne vermelha. De novo, serve-se do mais jovem para o mais evoluído, se houver mais de um, e do mais leve (um Pinot Noir, por exemplo) ao mais encorpado (um Cabernet Sauvignon). Aqui, a temperatura de serviço sobe um pouco: entre 14 e 18 graus.

Divulgação
Licorosos Vinhos doces – de colheita tardia, botritizados ou Porto – geralmente têm mais álcool e açúcar do que os demais, são mais pesados, e por isso devem chegar às taças ao final das refeições, como acompanhantes das sobremesas (ou mesmo depois delas.) No caso dos vinhos late harvest e botritizados (elaborados com uvas desidratadas por um fungo), o ideal é que sua temperatura não ultrapasse os 7 graus, para que não se tornem enjoativos.

sexta-feira, novembro 14, 2014

14/11/14 - Mais gelatina, menos calorias

por Luciane Daux
Vem chegando o verão, canta Marina. Promessa de fins de semana ensolarados, aquele marzão  e calor. O calor pede pratos menos calóricos, como as mousses de hoje. A gelatina, diet ou sem sabor para os adultos, pode ser uma boa aliada como ingrediente em receitas que vão trazer saciedade e hidratação com baixas calorias, ideais para a estação que deixa a nossa cidade ainda mais linda.

Duas pitadas
Pinot Noir em jantar temático -  O chef André Vasconcelos continua com duas deliciosas criações no Bistrô Muito Além do Jardim. No jantar temático dessa 6ª feira, o tema será a uva Pinot Noir. Um jantar todo harmonizado com vinhos Pinot, como o prato principal: contrafilé de cordeiro maturado com especiarias sobre rosti de aipim amarelo e brunoise de legumes com funcho e ervas na manteiga. Já na 6ª feira, 28/11, o tema será Charles Chaplin. O que será que o André vai inventar dessa vez? WWW.bistromuitoalemdojardim.com.br
Festival Gastronômico Chefs de Rua - A 2ª edição do projeto Chefs de Rua acontecerá neste sábado, na Praça Central do Passeio Pedra Branca, na Palhoça, das 12 às 19 horas. Serão 24 barraquinhas com pratos exclusivos e releituras. A expectativa do Núcleo de Gastronomia da Associação Empresarial de Palhoça (ACIP) é de receber um público de 15 mil pessoas nesta ação comemora o 1º ano do Passeio Pedra Branca.

Divulgação
Cookies Da Magrinha
A marca de produtos saudáveis Da Magrinha lançou no mercado cookies nos sabores granola, cacau e castanha do Pará. Os cookies, muito nutritivos, saborosos e especialmente crocantes, são uma boa ideia de lanchinho, café da manhã ou da tarde para adultos e crianças.





Divulgação
Prêmio Veuve Clicquot Mailbox Re-Creation
Veuve Clicquot convida artistas, designers e o público criativo em geral a criar uma edição limitada do Mailbox (foto), releitura das caixas de correio vintage que acomoda uma garrafa do champagne. O concurso será online, e as criações deverão ser enviadas através do site www.awards.veuve-clicquot.com até o dia 15 de novembro. Mais informações em www.facebook.com/veuveclicquotinternational

La Violetera
Mousse de pêssego diet
2 envelopes de gelatina em pó incolor sem sabor
10 colheres (sopa) água
300g de ricota amassada
100ml de leite desnatado
4 colheres (sopa) de adoçante para forno e fogão
2 claras em neve
1 lata de pêssegos em calda diet

Hidrate a gelatina com a água, deixe repousar por 5 minutos e dissolva em banho-maria ou no microondas por 20 segundos.
Bata no liquidificador a ricota, o leite, o adoçante, a gelatina dissolvida e os pêssegos em calda. Retire o creme do liquidificador e coloque em uma tigela junto com as claras batidas em neve e misture delicadamente. Cubra com filme plástico e leve à geladeira até ficar firme.
Fonte: La Violetera.

Mousse de tomate seco
1 pote de iogurte natural desnatado                                                  
2 xícaras (chá) de suco de tomate                                                                     
2 pacotes de 12 g cada de gelatina sem sabor vermelha, hidratadas em ½ xícara de água
2 colheres (sopa) de cebola branca picada
½ xícara (chá) de salsinha e cebolinha picadas
100 g de tomates secos sem óleo                                                      
2 claras batidas em neve
2 colheres (sopa) de amido de milho                                                                 
1 colher (sopa) de molho inglês                                                                                         
sal e pimenta do reino a gosto                                                                                                                                         

1.        Leve uma xícara de suco de tomate ao fogo com o amido de milho até engrossar.  Tire do fogo, junte o resto do suco de tomate, o iogurte, a gelatina, a cebola, o tomate seco, o molho inglês e bater no liquidificador.  Junte a salsinha e a cebolinha picadas e as claras em neve. 
2.        Unte uma forma de buraco no meio com um pouco de óleo.  Coloque o creme dentro e gele por pelo menos 4 horas.  Desenforme e sirva, acompanhando uma salada leve.

Creme de manga light
3 mangas tomi maduras sem casca e picadas                   
1 xícara (chá) de suco de maracujá                                    
1 colher (sopa) de raspa de limão tahiti
1 xícara (chá) de leite em pó                desnatado
6 envelopes de adoçante com aspartame
1 xícara (chá) de leite desnatado                        
1 pote de iogurte natural desnatado                   
1 sachê de gelatina em pó incolor e sem sabor hidratada em 8 colheres (sopa) de água

Bata as mangas e o suco de maracujá no liquidificador. Depois leve ao fogo para cozinhar por 15 minutos.  Deixe esfriar. 
No liqüidificador coloque o leite desnatado, em seguida o leite em pó e o adoçante e deixe bater por dois minutos. Acrescente as raspas de limão, o purê de frutas já frio, o iogurte e a gelatina.
Deixe bater por mais dois minutos e leve em taças à geladeira por duas horas.


terça-feira, novembro 11, 2014

Curso de facas e afiação em Florianópolis

Divulgação
Costumo dizer que para fazer uma boa cozinha são necessários 3 "Fs". Um Fogo potente, uma boa Frigideira e uma Faca de confiança. Ainda acrescentaria o quarto "F", que é a fome.

Uma cozinha sem boas e bem afiadas facas é uma tragédia para qualquer cozinheiro, desde os chefs aos gourmets de plantão.

Peter Hammer, especialista em afiação e cutelaria, estará em Florianópolis no dia 29/11 onde vai  ensinar a escolher e identificar as melhores facas do mercado. Mais importante do que tudo, Hammer, que é especialista em facas para chefs como Alex Ataça e Flávia Quaresma - vai ensinar como afiá-las.
Quem traz a aula à Florianópolis é Super Chefs.

Serviço
Curso de Facas, tipos de aço forja e afiação
Dia: 29/11
Período: 2 turmas Mat / Vesp
Alunos por turma: 15 alunos
Duração: 3 horas
Local: Assesc - Rodovia SC 401, Km 01, 407 - Itacorubi
Investimento: R$ 200,00

sexta-feira, novembro 07, 2014

07/11/2014 - Doce e salgado, lado a lado

por Luciane Daux
O uso de frutas secas ou frescas em pratos salgados acrescenta um toque de surpresa, uma momentânea confusão de paladares que logo se fundem numa experiência de prazer.  Algumas cozinhas, como a marroquina, a indiana e a alemã, têm uma vasta coleção de receitas assim, agridoces. Hoje trouxemos duas delas e ainda um chutney, condimento que acompanha assados e grelhados.

Divulgação
Chef Manu Buffara assina Gastronômade em SC
A chef curitibana Manu Buffara será a responsável pelo cardápio do Gastronômade Brasil - Edição Vinícolas, que acontece na Villaggio Grando, em Água Doce/SC, no próximo dia 23 de novembro. Manu é uma das chefs mais premiadas de Curitiba e foi apontada pelo chef Alex Atala como uma das revelações da nova geração. Os ingressos do Gastronômade na VG estão esgotados. O proprietário da Vinícola, Mauricio Grando, fará as honras da casa ao lado de sua família. Desta vez a mesa deve ser montada no meio do vinhedo.












Sérgio Vignes
O Bar Farol das Pedras participa do Festival
Bar em Bar com Espetinhos do Farol
Festival Bar em Bar
 Começou ontem e segue até 30 de novembro a edição de 2014 do Festival Bar em Bar. Durante o evento, promovido pela Abrasel SC, os bares participantes vão oferecer seus pratos escolhidos para o evento por 50% do valor, ao menos dois dias na semana. Saiba mais em www.barembar.com.br.










Luciane Daux
Chutney de cupuaçu com passas
O Chutney é um condimento picante sobre uma base doce - sobre uma geleia. A mestre em confisèrie Luciana Garcia  (Geleias La Dame) é quem nos ensina a fazer esse de cupuaçu, que fica perfeito com carnes brancas, salmão e/ou camarão grelhado. “ Junte em uma panela ½ xicara (chá) de água, 1/4  xícara (chá) o vinagre, 1 colher (café) de pimenta vermelha em pó, 1 colher (sobremesa)  de gengibre, ½ colher (café) de canela em pó e pitada de sal. Deixe ferver em fogo baixo até reduzir a  1/3 do volume inicial. Desligue o fogo e acrescente a geleia de cupuaçu La Dame e  as passas. Mexa bem para que a geleia derreta e incorpore todos os ingredientes. Guarde na geladeira em vidro com tampa hermética e aguarde 1 dia para consumir. Se preferir um chutney mais ácido ou mais picante aumente a quantidade de vinagre ou pimenta. A geleia de cupuaçu é delicada e não deve ser cozida ou perderá aroma e sabor.”

La Violetera
Salada Tropical
1 lata de Abacaxi em Calda
100g de Nozes
3 maçãs
200ml de creme de leite fresco
2 colheres (sopa) de açúcar
1.        Escorra e corte o abacaxi, as maçãs e as nozes em pedaços pequenos.
2.        Acrescente o creme de leite e o açúcar com as frutas já cortadas e misture bem.
3.        Fonte: La Violetera.


Rodrigo Ormond para Frangos Macedo
Dados de coxa e sobrecoxa com curry e banana
1 kg de coxa e sobrecoxa sem osso e sem pele
Raspas  e suco de um limão taiti
1 colher (sopa) de gengibre ralado
4 colheres (sopa) de óleo de soja
½ pimenta dedo de moça, sem as sementes, finamente picada (opcional)
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 colher (sopa) de curry
500 ml de caldo de galinha com baixo teor de sódio e gordura*
1 copinho de iogurte natural
½ xícara (chá) de castanha de caju picada
Sal a gosto
4 bananas brancas
1.        Corte as coxas e sobrecoxas em dadinhos de 2cm. Tempere com o suco de limão, metade do gengibre e sal. Deixe tomar gosto por uma hora.
2.        Numa panela, aqueça o óleo e refogue a cebola, alho, pimenta dedo-de-moça e a outra metade do gengibre juntos, até começar a dourar. Junte os dados de frango, o curry e refogue por 10 minutos, mexendo sempre.  Acrescente o caldo de galinha e deixe cozinhar por 20 minutos. Se necessário, acrescente um pouco de água.
3.        Desligue, junte o iogurte, as raspas de limão e as bananas em rodelas.Misture bem.
4.        Transfira para uma travessa. Polvilhe com a castanha de caju picada.
5.        Sirva com arroz branco. Rendimento: 5 porções

6.       Fonte: Frangos Macedo WWW.frangosmacedo.com.br
Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu