Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

sexta-feira, outubro 25, 2013

25/10/2013 - As bruxas estão soltas

EDIÇÃO DE 25/10/2013  DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux
As bruxas estão soltas
... e estão chegando para a Convenção anual que acontece no seu dia, 31 de outubro, ali na semana que vem. Elas gostam de vir especialmente para a Ilha da Magia, visitar as colegas que por aqui chegaram no século XVIII, desterradas das ilhas de Açores e Madeira.  “Aqui, na Ilha de Santa Catarina, elas voltaram às suas atividades como curandeiras, parteiras e conselheiras, sendo a partir de então conhecidas como benzedeiras. A verdadeira bruxa, ou se preferir benzedeira, é aquela que tem conhecimento sobre todas as energias que nos envolvem e sabe utilizá-las para melhorar a vida física, mental e espiritual”, conta o Historiador Hudson Queiroz. Se você andar pelos lados do Ribeirão nesses dias, corre o risco de ver alguma voando, pois segundo Franklin Cascaes (1908-1983), nosso mais famoso pesquisador bruxólico, é por lá que as bruxas gostam morar. Um beijo para todas as cozinheiras que são um pouco bruxas e alquimistas também.

Divulgação
Festa do Saci Pererê
Em homenagem o protetor das matas, dos animais e das pessoas que amam a natureza, a festa acontece aqui no dia 31 de outubro, a partir das 15h, na Esquina Democrática. Com apresentações teatrais e contadores de história que falarão da personagem para as crianças e adultos, a ideia nasceu da vontade dos organizadores de revigorar os mitos locais, que andavam perdendo espaço para as tradições de outras culturas, como o Halloween.

Quer saber se aquela “amiga” é uma bruxa? Teste.
“Antigamente, nas freguesias da Ilha do Desterro, faziam-se alguns testes para descobrir uma bruxa. Um deles é bem fácil e divertido, muitas vezes feitos por minha querida avó Bilica Queiroz, nos idos de 1930. Ela tirava os móveis da sala e fazia a moradora se colocar bem no centro do cômodo, repetindo três vezes e bem alto o nome da mulher que ela desconfia ser uma Bruxa. Se a pessoa aparecer na casa minutos depois e perguntar, fingindo inocência: “A senhora me chamou, vizinha?”, ela é uma bruxa!” – ainda do Historiador Hudson Queiroz.

Cleber Valério
Obra de arte na cozinha
Cozinhar elegantemente vestida com uma obra de Vera Sabino? Sim, essa foi a ideia da empresária catarinense Christine Ribeiro que, percebendo um novo olhar do mercado de decoração, juntou o know how em estamparia digital – no caso, o processo de sublimação - ao desejo de produzir uma linha de produtos decorativos com um valor agregado diferente. São aventais (São Francisco), almofadas, jogos americanos, guardanapos, entre outras peças, estampados com obras de grandes artistas catarinenses além de Vera, como Caio Borges, Hassis, Meyer Filho. Mais informações em www.cmgallery.com.br

Divulgação
Medalhas para SC
No VIII Concurso do Espumante Brasileiro, que aconteceu na semana passada em Bento Gonçalves e Garibaldi/RS, onde participei como jurada, a convite da ABE – Associação Brasileira de Enologia, quatro rótulos catarinenses foram premiados: Cave Pericó Espumante Champenoise Nature, Cave Pericó Espumante Brut e Santa Augusta Espumante Demi-Sec Rosé  trouxeram medalhas de ouro,  e a Lírica Espumante Brut, da Hermann, com medalha de prata.











©iStockphoto.com/jtram 
Maçãs carameladas da cesta da Bruxa
200g de açúcar
1/4 xícara (chá) de glucose de milho (tipo Karo)
1 xícara (chá) de creme de leite
40g de manteiga
200g de nozes trituradas
 5 maçãs verdes pequenas

  1. Lave as maçãs e cuidadosamente retire os cabinhos com a ponta de uma faca. Você poderá espetar as maçãs com gravetinhos, como está na foto, ou com palitos de sorvete.
  2. Forre uma forma com papel manteiga. Arrume um prato fundo com as nozes trituradas para que assim que o caramelo estiver pronto você possa colocar a base da maçã nas nozes para decorar!
  3. Em uma panela, misturar todos os ingredientes e levar à fervura em fogo alto. Assim que ferver, abaixe o fogo para temperatura média e deixe o caramelo cozinhar até chegar a temperatura de 118°C ou quando atingir uma cor marrom clara. Retire do fogo e banhe as maçãs rapidamente. Coloque a base da maçã no prato das nozes picadas, para que elas grudem, e em seguida na forma forrada com o papel manteiga. Deixe a maçã descansar por cerca de 30 minutos em temperatura ambiente e aproveite!
  4. Receita do site http://icouldkillfordessert.com.br/

  
Chez Popi
Dead Cakes
100 g de manteiga
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 e 2/3 xícara (chá) de farinha de trigo
3/4 de xícara (chá) de cacau em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/2 colher (chá) de sal
1 xícara (chá) de iogurte integral
2 colheres (sopa) de leite
1 e 1/2 xícara  (chá) de açúcar
2 ovos
Doce de leite (da sua preferência)
Oreo (Negresco) picadinho

1.        Prepare os biscoitos com as crianças, retirando o recheio e picando bem até parecerem areia.
2.        A Anna Paula usou pequenas formas retangulares mas você pode fazer numa forma grande untada e polvilhada com farinha de trigo e cortar em grandes retângulos.
3.        Numa tigela coloque os secos: a farinha, o cacau,  o bicarbonato e o sal. Em outra misture os molhados: o leite, o iogurte e a baunilha.
4.        Na batedeira coloque a manteiga, e o açúcar. Bata até ficar homogêneo  depois coloque os ovos um a um, e bata até a mistura ficar fofa e clara. Vá colocando uma parte da mistura dos secos e alterne na batedeira com os molhados) até que os dois terminem. Bata bem. Coloque a massa nas forminhas, complete a massa até cobrir um pouco mais que 2/3.
5.        Leve para assar em forno pré-aquecido a 180oC por aproximadamente 30/35 minutos ou até os bolinhos racharem na parte de cima (faça o teste do palito). Retire do forno e espere esfriar.
6.        Hora de decorar. Cubra a parte de cima dos bolinhos com o doce de leite ou pode ser Nutella. Então jogue a Oreo (bolacha Negresco) por cima para que pareça areia. Use flores de açúcar para enfeitar seu dead cake e coloque plaquinhas com RIP (Rest in Peace).
7.        Veja no NDOnline o modelo para recortar as caixinhas.

8.        A criação da brincadeira e a receita são da pâtissière da Chez Popi, a Anna Paula Silva. Mais detalhes em www.paulapopi.com

sábado, outubro 19, 2013

VIII Concurso do Espumante Brasileiro

Gilmar Gomes
Foto Gilmar Gomes
Aconteceu nesta semana (de 16 a 18/10/13), em Bento Gonçalves/RS, o VIII Concurso do Espumante Brasileiro,  do qual estou participei como jurada, a convite da Associação Brasileira de Enologia - ABE. A avaliação consolida os processos de melhoria e reconhecimento da qualidade dos espumantes nacionais.  

Na sua 8a edição, o concurso teve 257 amostras inscritas por 68 vinícolas de MG, PE, PR, RS e SC. Compuseram o juri enólogos, 
Foto Gilmar Gomes
enófilos, jornalistas especializados.

O evento integrou a programação oficial da Festa Nacional do Espumante (3 a 27 de outubro de 2013, em Garibaldi – RS), onde aconteceu, na 6a feira 18/10, a premiação.

O juri foi dividido em cinco mesas com sete jurados cada, mais um presidente por mesa. Os trabalhos foram realizados nas manhãs de 4a e 5a feiras, com a avaliação de 25 rótulos por mesa por dia. 

O Presidente da ABE, Luciano Vian, degusta uma das amostras.
Foto Gilmar Gomes.


Veja aqui a listagem das medalhas concedidas no VIII Concurso do Espumante Brasileiro
Marca Comercial Safra Processo Medalha
Decima Espumante Brut Rosé Charmat Gran Ouro
Campos de Cima Espumante Brut Tradicional Gran Ouro
Cave Del Vêneto Espumante Moscatel Moscatel Ouro
Calza Espumante Charmat Brut Charmat Ouro
Casa Valduga Espumante Brut 130 Tradicional Ouro
Casa Valduga Reserva Brut 2010 Tradicional Ouro
Casa Valduga Espumante Naturelle Moscatel Moscatel Ouro
Cave Antiga Espumante Chardonnay Brut 2010 Tradicional Ouro
Cave Antiga Espumante Moscatel 2013 Moscatel Ouro
Marson Espumante Brut Charmat Charmat Ouro
Decima Gran Reserva Espumante Brut Chardonnay Viognier 2008 Tradicional Ouro
Cordon D'Or Espumante Brut Rosé Charmat Ouro
Decima Gran Reserva Espumante Pinot Noir Brut Rosé 2008 Tradicional Ouro
Marcus James Espumante Brut Charmat Ouro
Garibaldi Espumante Prosecco Charmat Ouro
Giuseppe Garibaldi Espumante Brut Charmat Ouro
Garibaldi Espumante Moscatel Moscatel Ouro
Garibaldi Espumante Moscatel Rosé Moscatel Ouro
Castellamare Espumante Moscatel Moscatel Ouro
Courmayeur Espumante Brut Charmat Ouro
Dal Pizzol Espumante Brut Rosé Charmat Ouro
Ponto Nero Espumante Brut Rosé Charmat Ouro
Ponto Nero Espumante Moscatel Moscatel Ouro
Presence Peterlongo Espumante Brut Charmat Ouro
Presence Peterlongo Espumante Moscatel Branco Moscatel Ouro
Valmarino IP Pinto Bandeira Espumante Moscatel 2013 Moscatel Ouro
Dom Naneto Espumante Brut Tradicional Ouro
Varanda Espumante Brut Tradicional Ouro
Varanda Espumante Moscatel Moscatel Ouro
LA Espumante Tradicional Brut 2010 Tradicional Ouro
LA Jovem Espumante Brut Rosé Charmat Ouro
Terranova Espumante Brut Rosé Charmat Ouro
Miolo Cuvée Tradition Brut Rosé Tradicional Ouro
Miolo Millesime Espumante Brut 2009 Tradicional Ouro
Pizzato Espumante Tradicional Brut Rosé 2012 Tradicional Ouro
Fausto Espumante Tradicional Brut Tradicional Ouro
Panizzon Espumante Chardonnay Brut Charmat Ouro
Umai-Yoo Espumante Brut Rosé Charmat Ouro
Zanotto Espumante Brut Charmat Ouro
Cave de Pedra Espumante Brut Tradicional Ouro
Cave de Pedra Espumante Brut D.O. Tradicional Ouro
Cave de Pedra Espumante Moscatel Moscatel Ouro
Stravaganzza Espumante Brut Tradicional Ouro
Don Guerino Malbec Espumante Brut Rosé Charmat Ouro
Don Guerino Espumante Moscatel Rosé Moscatel Ouro
Gazzaro Espumante Tradicional Brut Tradicional Ouro
Cave D'Marc Espumante Moscatel  Moscatel Ouro
Gazzaro Espumante Moscatel Moscatel Ouro
Casa Venturini Vivere Espumante Champenoise Brut Tradicional Ouro
Marco Luigi Espumante Nature Champenoise 10 Anos 2001 Tradicional Ouro
Marco Luigi Espumante Brut Champenoise 10 Anos 2001 Tradicional Ouro
Marco Luigi Espumante Moscatel Reserva Moscatel Ouro
Casa Pedrucci Espumante Brut 2010 Tradicional Ouro
Pedrucci Reserva Espumante Brut 2011 Tradicional Ouro
Cave Pericó Espumante Brut 2012 Charmat Ouro
Cave Pericó Espumante Champenoise Nature 2010 Tradicional Ouro
Casa Perini Espumante Prosecco Charmat Ouro
Casa Perini Espumante Brut Charmat Ouro
Salton Espumante Moscatel Moscatel Ouro
Santa Augusta Espumante Demi-Sec Rosé Charmat Ouro
Zanella Espumante Brut Tradicional Ouro
Cave Del Vêneto Espumante Brut Rosé Charmat Prata
Monte Paschoal Espumante Moscatel Rosé Moscatel Prata
Casa Geraldo Espumante Brut Charmat Prata
Casa Valduga Reserva Blush 25 2010 Tradicional Prata
Arte Espumante Tradicional Brut 2012 Tradicional Prata
Cave Antiga Espumante Brut Rosé 2013 Charmat Prata
Courmayeur Retrato Espumante Nature 2011 Charmat Prata
Alto Vale Espumante Prosecco Charmat Prata
Privillege Peterlongo Espumante Brut Rosé Charmat Prata
Valmarino & Churchill Espumante Champenoise Extra-Brut 2009 Tradicional Prata
Valmarino & Churchill Prestige Espumante Champenoise Nature 2011 Tradicional Prata
Estrelas do Brasil Espumante Nature 2007 Tradicional Prata
Lírica Espumante Brut Tradicional Prata
Terranova Espumante Brut Charmat Prata
Casa do Imperador Espumante Natural Brut Charmat Prata
Estrelato Dom Cândido Espumante Moscatel Moscatel Prata
Gazzaro Espumante Branco Brut Charmat Prata
Kanpai Espumante Demi-Sec Rosé Charmat Prata
Kranz Espumante Brut Rosé 2011 Charmat Prata
Pedrucci Espumante Tradicional Brut 2012 Tradicional Prata
Salton Evidence Espumante Brut Tradicional Prata
Salvattore Espumante Brut Charmat Prata

Atila Zavarize, enólogo da Vinícola Hermann,
recebe o diploma pela medalha de prata do
Lírica Espumante Brut.
Medalhas para Santa Catarina
Foram concedidas 84 medalhas aos espumantes inscritos, entre Gran Ouro, Ouro e Prata. Santa Catarina obteve quadro delas. Cave Pericó Espumante Champenoise Nature, Cave Pericó Espumante Brut e Santa Augusta Espumante Demi-Sec Rosé  trouxeram medalhas de ouro,  e a Lírica Espumante Brut, da Hermann, com medalha de prata.

Visita aos vinicultores no Vale dos Vinhedos - Bento Gonçalves e Garibaldi
Desde a chegada a Bento e Garibaldi, a programação criada pela ABE e pela Secretaria de Turismo de Garibaldi foi intensa. A Secretária Ivane Fávero é uma entusiasta da enogastronomia e acompanhou o grupo de jornalistas nas visitas técnicas às vinícolas.


Peterlongo, uma das mais antigas
vinícolas do Brasil
Foto Luciane Daux




Durante a estada na região, os jornalistas que integraram o juri tiveram oportunidade de visitar algumas vinícolas.


Um dos jantares oferecidos ao corpo de jurados foi na
Cantina de Paolo: gastronomia típica do Vale dos Vinhedos.
Foto Luciane Daux.



















Acordes Chardonnay 2012 da Garibaldi:
agradável surpresa.
Foto Luciane Daux
Gerente de marketing, o enólogo Maiquel Vignatti, nos recebeu na Vinícola Garibaldi. Um dos vinhos provados que eu mais gostei foi o Acordes Chardonnay 2012, 13,5% de volume alcoólico no e vai chegar a R$ 100 ao mercado consumidor, início de 2014.

Na Vinícola Peterlongo, fomos recebidos pelo enólogo Ricardo Morari. Entre os vinhos degustados, me agradou muito o Champagne Branco Extra Brut Presence Peterlongo, um charmat longo (após a fermentação o espumante permanece em contato com as leveduras na autoclave por 8 meses, ganhando complexidade e aromas maduros provenientes da autólise). Vai chegar ao mercado de R$ 32 a R$ 35. Feita com 20% pinot noir/80% chardonnay, vinho base de 2012 e 12,5% vol. Alcoólico. Açúcares residuais: 3,5 g/L. Acidez Total: 5,7g/L.



Phillipe Mével, enólogo da
Chandon
Foto Luciane Daux

Na Chandon (Moët Hennessy do Brasil) Philippe Mével, engenheiro agrônomo, enólogo e diretor de enologia recebeu o grupo e contou um pouco da história da vinícola, que está desde 1973 em Garibaldi, e é filial a 100% da Moët & Chandon francesa. É a líder no segmento de espumantes super-premium (acima de R$ 50). A empresa produz 20 a 25% das uvas utilizadas (75 ha), e o restante provém de 120 fornecedores integrados.

Alem de provar um vinho base e um espumante direto do tanque, Phillipe nos ofereceu degustação de dois rótulos enquanto palestrou. Do "assemblage"*  das uvas riesling itálico, chardonnay e pinot noir (vinificada em branco) resulta o Chandon Reserve Brut. Já o Excellence Cuvée Prestige Brut, considerado o melhor espumante natural das Américas,  possui uma elaborada combinação das uvas Chardonnay e Pinot Noir , nesse caso uvas exclusivamente de produção da própria Chandon em suas propriedades.

*"Assemblage" refere-se à operação de juntar dois ou mais vinhos em busca de uma nova bebida, mais uniforme, com personalidade própria e que possa ser elaborada outras vezes. E através desse processo que a Chandon garante que o consumidor vai sempre encontrar a mesma qualidade nos produtos, independente da safra. Aqui é definido o estilo do espumante.

Os pequenos produtores também tiveram oportunidade de mostrar seus rótulos, apresentandos pelo enólogo Luis Milani, da Milantino. Degustamos, entre outros, o Milantino Extra Brut, Locatelli Brut, Vaccaro Brut Champenoise e 0 Milano Brut Rose (pinot e merlot, método tradicional).



Gilberto Pedrucci
Foto Luciane Daux

Uma das visitas mais interessantes foi à Vinícola Casa Pedrucci. Gilberto e Lourena Pedrucci nos aguardaram com um Rosé Brut (50% gamay e 50% pinot noir). Numa casa de pedras, construída no início do século passado, eles instalaram uma micro champanheria, onde produzem o Tradicional Brut (20% trebbiano, 20% riesling, 20% pinot e 40% chardonnay).
Boas vindas com o Rosé Brut da Casa Pedrucci
Foto Luciane Daux

O Brut Reserva me agradou bastante, sendo especialmente gastronômico. E o top, o  
Casa Pedrucci Espumante Brutt Millésime, 2010, em garrafa 750ml e Magnum (1,5 li­tro), feito de uvas da campanha e da serra, com excelente perlage, foi lançado na Fenachamp desse ano.


Gastronomia

Dispensaria maiores comentários a gastronomia do Rio Grande do Sul se eu não tivesse sido apresentada para algo muito melhor: a autêntica cozinha dos imigrantes italianos. 






Sobremesas da Osteria della Colombina
Foto Luciane Daux
Um lugar em especial me chamou atenção - e certamente voltarei: a Osteria della Colombina, na Estrada do Sabor. Dona Odete e as filhas recebem grupos sob reserva no porão da casa, chão batido, decorado com objetos antigos, fotos de família e pinturas de santos. Posso dizer que foi o melhor lugar onde comi nessa estada. E olha que eu comi bem! Adorei o ambiente, o atendimento, o jardim, as flores ... Polenta brustolada, frango ensopado com molho vermelho, uma carne assada com cebolas e batatas que cheiravam bem já de longe. Salada de folhas verdes com flores. E tudo produzido pela família. Quem quer conhecer a tradição e o turismo rural, deve ir lá.


Codornas recheadas do La Cantina e
típica hospitalidade do Vale dos
Vinhedos, com o casal Carmen
e Sergio.

La Cantina, outro lugar surpreendente e onde quero igualmente voltar. A cozinha da D. Carmen foi uma sucessão espetacular de codornas recheadas, polenta mole, sopa de capeletti, carne lessa com raiz forte, salada fresquíssima temperada com aceto balsâmico feito na casa. E as sobremesas, Madonna! Sagu feito com o vinho da Cantina do Sr Sérgio, proprietário e enólogo de lá. Doce de abóbora ... Tudo bom demais!
Retratos antigos da família decoram
as paredes da Casa Dequigiovani
Foto Luciane Daux

A Casa Dequigiovanni foi uma outra surpresa. Uma noite inesquecível proporcionada pelo enólogo Jatir e sua esposa, numa combinação de gastronomia (cabrito ao forno e purê de batatas com bacon), vinhos e música cantada pelo próprio dono da cantina.




Agradecimentos:

ABE - Associação Brasileira de Enologia
Luciano Vian - Presidente da ABE e Enólogo da Vinícola Don Giovani

Dirceu Scottá - Diretor da ABE e Enólogo da Vinícola Dal Pizzol
Secretaria de Turismo de Garibaldi
Ivane Fávero - Secretária de Turismo de Garibaldi

Ewelise Feijó - Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Agronegócio
Jussara Dutra - Coordenadora do GT de Gastronomia do RS
Eliane  Cerveira - Secretária da ABE
Lucinara Masiero - ConceitoCom Assessoria de Imprensa







Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu