Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

sexta-feira, março 29, 2013

29/03/2013 - Mesa de Páscoa cheia de graça

EDIÇÃO DE 29/03/2013  DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux
Ofereça uma mesa de Páscoa alegre e convidativa à família e amigos. Para as crianças, bolinho no palito. E para fazer uma mesa bonita, saladinha servida dentro de um ninho. E se o bacalhau não pode faltar, vamos então de bolinhos com receita de boteco. Feliz Páscoa!

Delicadezas de morder
Divulgação
Mimos como as bolachas da Delikaten  de São Bento do Sul (foto), os chocolates da Doce Beijo (Joinville), colombas da Toque + Sabor (Caçador) e os doces da Chef Ceres Azevedo (Florianópolis) fazem parte das sugestões da delicatessen da Essen Vinhos para a Páscoa, nos endereços do Centro e de São José.







Divulgação

Trazido pelos imigrantes alemães, são ovos de Páscoa com desenhos coloridos, alegres e delicados, que remetem à  data. São delícias de chocolate ao leite, com 45% de cacau. Na Syga Verde do Centro e Lagoa da Conceição.





Miraculina: chupar limão sem cara feia
Para o trabalho de conclusão da pós-gradução em Enogastronomia pela Univali, o jovem chef Jordan Franzen (Risotteria Suprema) escolheu um tema no mínimo inusitado. Está pesquisando sobre a miraculina, ou a fruta do milagre (Synsepalum dulcificum) que, em contato com a língua, por uma reação química natural, faz com que percebamos o sabor doce no lugar do azedo e do amargo. A convite do Jordan participei de uma degustação da miraculina junto com outros profissionais da área da Gastronomia e da Análise Sensorial, e pude comprovar: mesmo a mais azeda das limonadas fica parecendo uma calda de açúcar depois da miraculina. Um avanço da gastronomia que poderá auxiliar inclusive pacientes submetidos à quimioterapia a voltar a ter o prazer de comer.

Divulgação
Popcakes de Páscoa
Até o dia 31/3, das 15 às 20h, o Continente Park Shopping, em São José/SC vai oferecer gratuitamente uma oficina de popcakes, esses “bolinhos no palito” à criançada de três a 12 anos.  O evento acontece simultaneamente no Joinville Garten Shopping, em Joinville. Um bom programa para fazer com as crianças. E aqui vai a receita, para quem quiser se aventurar em casa: 
1 bolo pronto de sua preferência
1 lata de leite condensado ou doce de lei
Espetos para churrasco
    300 g de chocolate de sua preferência
    Granulados ou confeitos para decorar

1. -Esfarele o bolo com ajuda de um garfo e acrescente o leite condensado até dar o ponto de enrolar
2. -Enrole os docinhos e espete os espetos até na metade da bolinha (se desejar, leve ao freezer para que o doce obtenha mais firmeza)
3. -Derreta o chocolate em banho-maria e passe os docinhos no chocolate
4. -Enfeite com os granulados ou confeitos e deixe secar

Luciane Daux
Ninhos com salada niçoise
Para os ninhos:
300g de queijo parmesão ralado grosso ou em tiras

Para o recheio:
Broto de alfafa e tudo o que você encontrar de mini: mini agrião (micro-verdes), azeitonas pretas, cenouras boleadas ou baby, ovos de codorna, mini milhos
Flores comestíveis

1. Aqueça uma frigideira antiaderente. 
2. Retire do fogo e espalhe um pouco de queijo parmesão ralado em um diâmetro de aproximadamente 10cm. 
3. Leve a frigideira de volta ao fogo baixo e deixe derreter sem mexer. Quando começar a dourar embaixo, retire o círculo de queijo derretido e repouse sobre algum objeto que tenha a forma desejada, como forminhas de empada grandes (não necessita untar).
4. Recheie com pequenos bocados delicados, e leve à mesa com azeite de oliva, aceto balsâmico e sal, para que cada pessoa tempere a seu gosto.
5. Sirva junto com uma salada de mini verdes.

RMCOM
Bolinho de bacalhau
1kg de bacalhau desfiado
½ kg batata inglesa cozida e esmagada
1maço salsinha picada
8 gemas de ovo
100ml azeite

1. Dessalgar o bacalhau.
2. Cozinhar o bacalhau em fogo baixo (não deixar ferver).
3. Desfiar o bacalhau e misturar com os demais ingredientes. Moldar os bolinhos e fritar a 180°.
4. Receita da chef Isabel Hagemann, do Boteco Zé Mané.

segunda-feira, março 25, 2013

Blogagem coletiva - Mesa de Páscoa: lúdica na decoração e no cardápio

Esse post é resultado de uma parceria com outros blogs de gastronomia. Decidimos fazer uma "blogagem coletiva" sobre a Páscoa. Cada um de nós trará uma receita ou uma indicação afim para essa data. Veja os links ao final da página.


Luciane Daux
Para ilustrar meu post, fui buscar uma inspiração lúdica. Gosto de brincar um pouco à mesa, seja com os ingredientes, seja com a apresentação. Saiu, então, uma saladinha fofa que a criançada - e todo mundo - vai adorar. Também resgatei algumas ideias de decoração que vão deixar a mesa mais interessante.

A ideia é escolher um tema, neste caso a Páscoa, e uma cor central, abrir os armários e colocar para fora tudo que possa lembrar indicações, sem se preocupar em combinar. Escolhi a cor verde, e ainda contei com a colaboração do pessoal da Bella Casa, que me emprestou bastante coisa.

Luciane Daux
Coloque todos os objetos sobre a mesa: taças, pratos, guardanapos, porta-guardanapos, sousplats, enfeites, bonecos, coelhinhos, etc. Agora, tendo uma visão geral, veja o que combina com o que e vá arrumando, até que sua mesa fique acolhedora para receber seus convidados.

Outra ideia bacana: xícaras cheias com jujubas, como se fossem pequenos ovinhos, completam a decoração.


A receita para esse post é muito graciosa e segue também a linguagem lúdica que escolhi. São ninhos/cestinhas recheados com uma saladinha. Veja como é fácil e faz muito efeito.

O recheio dos ninhos fica ao seu gosto.
Luciane Daux
Ninhos com salada niçoise
Para os ninhos:
300g de queijo parmesão ralado grosso ou em tiras

Para o recheio:
Broto de alfafa
Mini agrião (micro-verdes)
Azeitonas pretas
Cenouras boleadas (podem ser cortadas em cubinhos também)
Ovos de codorna
Mini milhos
Flores comestíveis

1. Aqueça uma frigideira antiaderente.
2. Retire do fogo e espalhe um pouco de queijo parmesão ralado em um diâmetro de aproximadamente 10cm. Não coloque muito queijo, deixe alguns "furos", pois assim são os ninhos.
3. Leve a frigideira de volta ao fogo baixo e deixe derreter sem mexer. Quando começar a dourar embaixo (verifique com a ajuda de uma espátula), retire o círculo de queijo derretido e repouse sobre algum objeto que tenha a forma desejada. Neste caso, fiz sobre forminhas de empada grandes (não necessita untar).
Luciane Daux
4. Recheie com pequenos bocados delicados, como os que sugeri acima, e leve à mesa com azeite de oliva, aceto balsâmico e sal, para que cada pessoa tempere a seu gosto.
5. Sirva junto com uma salada de mini verdes.

Veja os links para consulta dos outros blogs que participam dessa blogagem coletiva.

Não vá se perder
Menu Floripa
Gastronomia e outras folias
Garfadas

Feliz Páscoa!

sexta-feira, março 22, 2013

22/03/2013 - Pirão: põe o garfo aqui quem gosta


EDIÇÃO DE 22/03/2013  DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux
Quer coisa mais nossa do que comer pirão? D’água, de feijão, escaldado, de “nailo” (nylon), até bolinho de pirão, sabores tão nossos e carregados de lembranças, e fazem companhia mais do que perfeita a um peixinho frito ou a uma caldeirada de frutos do mar. Feijoada e cozido sem pirão? Não é possível. Em homenagem aos 287 anos de Florianópolis, amanhã, e ao outono, que acabou de chegar, pegue a nossa farinha de mandioca, branquinha e muito fina,  e já pra cozinha!

De onde vem esse hábito?
A professora Lélia Pereira da Silva Nunes, entre outras atividades intelectuais uma estudiosa das nossas raízes açorianas, conta-nos que o hábito de comer pirão não é da cultura dos nossos colonizadores, mas da indígena. No entanto, ela diz que “conclui-se que os nossos ilhéus e seus ancestrais açorianos aqui chegados cultivaram o hábito de comer farinha de mandioca e, sem dúvida, que a excelência da nossa saborosa farinha se deve ao aperfeiçoamento do processo de moagem de mandioca dos indígenas pelos povoadores açorianos, que eram detentores de larga experiência com o trigo lá nos Açores, no Atlântico Norte.” Leia ao final da página o texto completo.

Luciane Daux
Meu pirão
Meu pirão é famoso e a dica é simples: ao contrário do pirão escaldado, desmancho primeiro a farinha de mandioca em água fria, e só então levo a panela ao fogo, juntando mais água ou o caldo do prato preparado, uma pitada de sal e tempero verde, se for o caso. Fica lisinho e transparente. Olha o meu pirão com lingüiça frita, que lindo!

Caldinhos do Ricardinho amanhã
Acontece amanhã, no Clube Náutico Martinelli, o 13º Ricaldinho da Ilha, quando comemoramos dois aniversários importantes: da nossa cidade e do meu querido colega colunista do ND, Ricardinho Machado. Na festa, que se inicia às 11h, serão servidos mais de 40 caldinhos, entre eles o de Cozido (acompanhado de farinha de mandioca), receita do Nego Quirido que tradicionalmente faço neste dia. Camisetas-convite: a R$ 100,00, à venda no Shopping Beiramar, Toca do Urso e Café Trajano.

Berbigão ensopado com pirão escaldado
1 kg de berbigão cozido e sem casca
500g de berbigão com casca, bem lavados
2 colheres (sopa) de óleo
1 cebola picada
2 tomates picados, sem sementes
1 dente de alho picado
2 colheres (sopa) de alfavaca picada
Sal a gosto

Para o pirão:
1 xícara (chá) de farinha de mandioca
700ml a 1l de água fervente
Sal a gosto

1.        No fogo médio, refogue a cebola e o alho no óleo, até murcharem, e então acrescente o tomate picado.
2.        Quando o tomate já estiver quase desmanchado, acrescente o berbigão com casca.
3.        Quando as conchas estiverem abertas, junte o berbigão já cozido e sem casca, a alfavaca e mais uma xícara (chá) de água. Acerte o sal e deixe ferver por 10 minutos.
4.        Enquanto isso, prepare o pirão colocando a farinha de mandioca e sal a gosto numa bacia.
5.        Vá acrescentando a água fervente aos poucos, misturando sempre com um garfo. Se desejar um pirão mais mole, coloque mais água.
6.        Sirva, num prato de sopa, o pirão escaldado e, sobre ele, o berbigão ensopado.

Luciane Daux
Bolinho de feijão
(Do caderno de receitas da minha mãe, feito com feijão da feijoada)
3 xícaras (chá) de feijão de feijoada com bagos
½ xícara (chá) de farinha de mandioca crua
½ colher (sopa) de fermento em pó
Bacon picado e frito (opcional)

1.        Leve ao fogo o feijão da feijoada. Quando ferver, junte meia xícara de farinha de mandioca e mexa, como um pirão. Acrescente o fermento em pó.
2.        Deixe cozinhar bem até soltar do fundo da panela.
3.        Desligue, deixe esfriar e faça bolinhos.
4.        Frite-os em bastante óleo quente até ficarem crocantes por fora.

 O pirão d'água da sua mesa
 Colaboração de Lélia Pereira da Silva Nunes
Um pirão d’água bem  escaldado quase transparente acompanhando uma pescada branca frita ou assada é mesmo uma delícia. Aliás, não importa o nome do peixe o que importa que tenha como acompanhamento o tradicional pirão d’água feito em água bem quente –o “pirão escaldado” e que, muito recentemente, vem sendo também chamado de “pirão de nylon” por causa da sua transparência.
O fato é que o “pirão” faz parte da dieta alimentar do pescador, das famílias do nosso litoral catarinense ao longo das gerações, que tiveram na sua formação cultural a contribuição dos povoadores açorianos aqui chegados entre 1748 a 1756. Por isso é muito comum se ouvir dizer que é um “costume açoriano”.
O que não é  a  mais pura verdade. Mas, é bom esclarecer este “ ser ou não ser um costume de origem açoriana.”
 Na verdade, os nossos povoadores açorianos do Século XVIII não trouxeram na sua bagagem o hábito de comer farinha de mandioca porque nos Açores não tinham este costume. Eles não conheciam a mandioca.  E, até os dias de hoje não têm este hábito. Então, de lá não veio… 
Mas, temos a outra  face da história... Que é o da contribuição no hábito que ser tornou uma marca típica da comida do nosso ilhéu. Afinal,vem da onde?
O uso da mandioca é uma herança da cultura indígena. Os açorianos usavam o trigo. Chegaram aqui e tentaram muito cultivar o trigo que era a base do seu sustento ao lado dos nhames, das batatas, dos peixes de alto mar e da carne. Trouxeram na sua bagagem a tecnologia dos engenhos. Infelizmente, não alcançaram o resultado esperado por eles e pelo Rei de Portugal. Porque a nossa terra não era boa para o cultivo do trigo. Passaram a plantar a mandioca (hábito alimentar indígena) e produziram uma farinha tão fina quanto o trigo. Basta observar e constatar que a nossa farinha de mandioca é famosa em todo o Brasil por sua qualidade e textura suave.
Assim, com os índios, aprenderam o uso da mandioca na alimentação como o pirão d' agua (escaldado e frio), o bijú, o piroca (pirão feito com leite) entre outros pratos e daí em diante foram desenvolvendo uma culinária local tipica, misturando os seus saberes das nove ilhas vulcânicas do além mar com os saberes dos nossos índios.

Tanto é a “mais pura verdade” que em 1797 havia em Desterro
17 atafonas de moer trigo e 87 engenhos de mandioca. Por este dado se constata a insistência dos açorianos com o cultivo do trigo,a sua tradição cultural e a crescente transformação da mandioca em farinha, que era uma cultura nativa, herdada dos indígenas. Podemos dizer que os nossos engenhos de mandioca foram desenvolvido a partir da tecnologia dos indígenas no manejo da raíz mandioca com o know how dos moinhos de trigo dos açorianos.

     Conclui-se que os nossos ilhéus e seus ancestrais açorianos aqui chegados cultivaram o hábito de comer farinha de mandioca  e, sem dúvida, que a excelência da nossa saborosa farinha se deve ao aperfeiçoamento do processo de moagem de mandioca dos indígenas pelos povoadores açorianos, que eram detentores de larga experiência com o trigo lá nos Açores, no Atlântico Norte.



quinta-feira, março 21, 2013

Páscoa 2013: oficina gratuita de PopCakes para crianças

Você conhece o PopCake? São "pirulitos de bolinho" no palito, já viu (foto)? 



Divulgação
De 22 a 31/03 - O Continente Park Shopping, em São José/SC, comemorando a primeira Páscoa do empreendimento, vai oferecer gratuitamente uma oficina  à criançada de três a 12 anos, com os monitores da VCT & Cia – organizador do evento em parceria com o grupo Westfield Almeida Junior, ensinando como fazer a guloseima da moda. 

O evento acontece simultaneamente no Joinville Garten Shopping, em Joinville.


Um bom programa para fazer com as crianças. E aqui vai a receita, para quem quiser se aventurar em casa: 
Popcakes de Páscoa
1 bolo de sua preferência
1 lata de leite condensado ou doce de lei
Espetos para churrasco
    300 g de chocolate de sua preferência
    Granulados ou confeitos para decorar


Modo de preparo:
-Esfarele o bolo com ajuda de um garfo e acrescente o leite condensado até dar o ponto de enrolar
-Enrole os docinhos e espete os espetos até na metade da bolinha (se desejar, leve ao freezer para que o doce obtenha mais firmeza)
-Derreta o chocolate em banho-maria e passe os docinhos no chocolate
-Enfeite com os granulados ou confeitos e deixe secar

Serviço:
O quê: oficina de PopCake
Quando: de 22 a 31 de março
Onde: Continente Park Shopping, São José
Horário: das 15h às 20h
Quanto: gratuito
Quem pode participar: crianças de três a 12 anos -  importante a presença dos pais ou responsável no local.

domingo, março 17, 2013

16/03/2013 - Gastronômade SC: experiência sensorial extraordinária

Hoje tive o prazer de viver uma experiência gastronômica única. Fui convidada pela Renata Runge, representante da OITF Brasil/Gastronômade para a edição Santa Catarina, que aconteceu na Ponta da Piteira, em Imbituba. Saiba o que é Gastronômade, clique aqui.

A Lagoa de Ibiraquera e o mar, ao fundo: vista da Ponta da Piteira Hotel Boutique
Antes de mais nada quero dizer da minha surpresa com a beleza do local. Antes do Gastronômade eu jamais poderia imaginar que uma paisagem tão linda como essa estivesse a vida toda ali, tão pertinho de mim. Um lugar que convida à reflexão, natureza se mostrando na mais pura essência.

O evento em si aconteceu na Ponta da Piteira Hotel Boutique. Um luxo reservado a poucos, uma pousada de charme com apenas três suítes e a vista da foto aqui de cima. Tudo isso mais a simpatia dos proprietários, Karen e Henri.

Lá chegando fui recepcionada pela Mônica Correia, jornalista que fez a assessoria de imprensa do Gastronômade, e através da qual me chegou o convite para essa experiência. Os outros convidados, todos num alto astral, gente de vários lugares que, como eu, estavam extasiados com o momento.

Visitando o Chef André Vasconcelos e sua brigada na cozinha
do Gastronômade SC
A cozinha dessa edição foi comandada pelo meu querido amigo, e um dos chefs mais arrojados que conheço, André Vasconcelos, do Bistrô Muito Além do Jardim. André e sua brigada foram incansáveis para que tudo corresse perfeitamente. E correu.












Veja o que degustamos de entrada:
Espetinho de linguiça Olho e aipim röesti, vieiras (de Porto Belo) 
marinadas  na cachaça com pirão de garoupa

e de sobremesa:
Maçãs de São Joaquim em calda ao mel sobre bolinho de
amendoim, carambola e mirtilos em calda


No intervalo entre esses dois pratos, mais outras maravilhosas criações do chef André Vasconcelos, com produtos catarinenses como as Vieiras de Porto Belo, a Bottarga Gold e a Água Mineral Santa Rita. Tudo harmonizando com os vinhos da Casa Pisani, de Monte Carlo/SC. um dos mais comentados da tarde foi o Viognier 2012, harmonização perfeita com as entradas, um vinho leve perfeito para o verão.


Enfim, foi um sábado diferente, muito especial. Parabéns e obrigada, Renata, e espero que ainda neste 2013 tenhamos oportunidade de ter mais um Gastronômade em Santa Catarina.

sexta-feira, março 15, 2013

15/03/2013 - Deliciosa Bocaiuva

EDIÇÃO DE 15/03/2013  DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux
Google Earth
Deliciosa Bocaiuva
Os 820 metros entre o final da Rua Almirante Lamego (cruzamento com a Rua e Praça Esteves Junior) e o início da Rua Heitor Luz (cruzamento com a Avenida Mauro Ramos), e o seu entorno, estão entre os mais saborosos da nossa cidade. Além de ser um charme, a Rua Bocaiuva se tornou uma referência quando o assunto é enogastronomia e música ao vivo. Um endereço nobre e com garantia de muito prazer.

Na Bocaiuva tem...
Bocaiuva Café
Café da Corte
Emporium Bocaiuva
Saúde no Copo
Uai de Minas
Joy Joy Bistrot
Restaurante Central
Restaurante Mirantes
Pizzaria Milano
Macarronada Italiana
Restaurante Bella Luna (Blue Tree Tower)
Imperatriz Gourmet
Toca do Urso

Quatro pitadas
Cruzando a ponte - A já consolidada qualidade da alta gastronomia do Bistrot JoyJoy ganha novo endereço a partir de hoje. A Chef Joyce Francisco veio de panelas e fouets para a Rua Bocaiuva, 2090, e traz, além do excelente menu do bistrot, um café que abrirá a partir das 7h da manhã.
Gastronômade/Divulgação
Gastronômade/SC – Acontece amanhã, na Ponta da Piteira, em Ibiraquera/Imbituba, a partir das 13 horas. A cozinha da edição catarinense fica sob o comando do arrojado Chef André Vasconcelos e os vinhos servidos serão da Casa Pisani, de Monte Carlo/SC. Na foto, a edição do Rio de Janeiro, que aconteceu no início desse mês
Do Olimpo - O esperado restaurante Ilhas Gregas começou a atender essa semana. Além de a la carte também vende congelados, todas as receitas assinadas e executadas pela caprichosa Chef grega Spiri Baptista. Sempre e somente sob reserva pelo email  ilhasgregasrestaurante@gmail.com ou fone 3240-8232. No Bairro Jardim Atlântico.
Cabaret francês, sabor brasileiro - Às quartas-feira o Menu Confiance do Chef Vitor Gomes ganha um tempero especial com os clássicos da 'chanson française' (Piaf, Aznavour, Brel...), e de versões francesas da MPB (Buarque, Jobim, Vinicius), interpretados por Otávio Rosa e Isabelle Quimper. O Ponto G Gastronomia fica em Santo Antonio de Lisboa.

Sergio Vignes
Tagliata do Café da Corte
250g de entrecote
150g de rúcula
40g de lascas de queijo parmesão
05 ml de azeite de oliva
05 ml de aceto (vinagre) balsâmico reduzido
Sal e pimenta a gosto

1.        Montar em um prato a rúcula de forma que cubra o fundo do mesmo.
2.        Acrescentar metade das lascas de parmesão, o azeite e o vinagre balsâmico.
3.        Grelhar a carne já temperada  com sal e pimenta no ponto que desejar. Quando pronta, cortar em tiras e colocar sobre a rúcula. Finalizar com o restante das lascas de parmesão.

Philippe Arruda
Escondidinho de bacalhau do Emporium
100g de bacalhau desfialdo e dessalgado
250g de mandioquinha (batata salsa) cozida e amassada
½ cxícara (chá) de creme de leite fresco
20g de queijo ementhal ou gruyère ralado
Noz moscada ralada a gosto
100g de alho poró refogado em azeite de olva
Sal e pimenta do reino a gosto

1.  Fazer um purê de mandioquinha processado com o creme de leite, pouco sal e uma pitada de noz moscada ralada e a pimenta.
2. Colocar metade do purê no fundo de um bowl, metade do alho poró, o bacalhau, a outra metade do alho poró e cobrir com a metade restante do purê. Colocar o queijo ralado por cima e gratinar em forno médio até dourar.

Pizzeria Milano/Divulgação
Veramente buona
Parmigiana siciliana, receita da chef italiana Grace Fraschini, da Pizzeria Milano: simples, objetiva e adorável, como a própria Grace. Fatias de berinjela grelhada intercalada com finas fatias de presunto e mussarella de búfala, gratinadas no forno a 180oC.

sexta-feira, março 08, 2013

08/03/2013 - Muito charme: mulheres na cozinha

EDIÇÃO DE 08/03/2013  DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux
Castle Rock Entertainment
Trabalhar, ter seu negócio, criar filhos, administrar a casa, namorar, ser inteligente, cozinhar bem.... Dá licença? Só sendo mulher para fazer tudo isso e ainda continuar cheirosa. Mulheres vêm construindo uma bela e consistente história na gastronomia. No cinema elas fazem sucesso em A festa de Babette, Sem reservas (com Catherine Zeta-Jones, foto), Julie&Julia, por exemplo. Com as receitas de duas chefs cheias de garra e charme a coluna homenageia as mulheres neste dia 8 de março.

Mariana Boro         
Flores e espumante para as damas
Esses são alguns dos mimos que a Cantona Sangiovese preparou para as mulheres, no jantar de hoje, sob reserva. O menu degustação, sob o comando do Chef Helton Costa, Chef do Ano pela Revista Veja Comer & Beber 2012/2013, terá seu auge na sopa de morango com sorvete de baunilha (foto).  Em Santo Antonio de Lisboa.















Fernando Willadino
Arroz caldoso (4 porções)
Receita da Chef Joyce Francisco, casada, mãe da Djulia (patissiere e futura chef), da Djeovana e da Valentina. Formada em Administração de empresas com MBA em Gestão de pessoas, master em Direccion de Cocina y Pasteleria na Espanha, especialista em cozinha francesa pelo Institut Paul Bocuse, proprietária e chef do Bistrot JoyJoy, que se transfere,na próxima semana, de São José para a rua Bocaiuva. Ufa, cansei só de escrever!
120g de arroz bomba (espanhol) ou parboilizado
200g de tomate sem pele e sem sementes
40g de alho
Pimentões vermelho, amarelo e verde, 40g de cada
120g de cebola
2 litros de caldo de peixe
Polvo em rodelas, lula em rodelas, garoupa em cubos, camarão médio, 120g de cada
12 mariscos na casca
200ml de azeite de oliva
40g de salsinha
1 envelope de tempero Paellero

1.    Refogue ligeiramente em um pouco de azeite de oliva os frutos do mar, em separado, na panela que será feito o arroz, e reserve-os.
2.    À parte, faça um refogado com a cebola, o tomate e por último os pimentões. Adicione o arroz, misture bem, adicione duas concha de caldo e mexa bem. Junte mais 10 conchas cheias  e deixe o arroz cozinhar até ficar al dente (mais ou menos 20  minutos). Acrescente o peixe, os mariscos e o polvo (já cozido) e caldo o bastante para deixar o arroz totalmente submerso. Junte o tempero paellero e cozinhe mais 10 minutos. Por último, junte  os camarões, lembrando que o arroz deve ficar com caldo. Ajuste o sal, finalize com a salsa e sirva bem quente.

Ottmar Paraschin
Atum grelhado e purê de batata com wasabi  
(4 porções)
A receita é da Chef Fabiana Agostini , casada, mãe da Filippa (10 meses) e de Giuseppe (6 anos).  Trabalhou com Ferran Adriá no espanhol El Bulli e estudou na Escola Le Cordon Bleu de Paris, é proprietária do Pellegrino Massas Artesanais (Lagoa da Conceição), em parceria com o marido, e presta consultoria para outros restaurantes pelo país. Também surfa e corre na Lagoa. É mole??
480g de purê de batata inglesa
120g de wasabi
20g de sal
20g de pimenta do reino
800g de atum fresco
Cogumelos Paris, shimeji e shitake, 200g de cada
Gergelim branco e preto, 40g de cada
120ml de azeite
80ml de redução de vinagre balsâmico (comprado pronto)

1.    Tempere o peixe com sal e pimenta e grelhe em fogo alto, deixando o meio bem cru. Passe na mistura de gergelim torrado e corte em fatias. Reserve.
2.    Acrescente o wasabi ao purê de batata, mexa bem para não ficar com pedaços. Reserve.
3.    Salteie os cogumelos no azeite com alho, temperando com sal e pimenta. Reserve.
4.    Monte no prato quadrado, o purê com os cogumelos e disponha os peixes por cima, coloque ao lado uma grande gota de redução de balsâmico. Sirva decorado com cebolette.

terça-feira, março 05, 2013

05/03/2013 - Gastronômade acontece na beira da praia na Ponta da Piteira, em SC

Cris Berger
Portobello Resort Safari, em Angra dos Reis,
Rio de Janeiro, foi o palco do
 Gastronômade neste último dia 2/3/13

Gastronômade Brasil abre temporada no Rio de Janeiro. Dia 16 de março/13 é em Santa Catarina, na Ponta da Piteira na Praia do Rosa, e os vinhos serão os da Casa Pisani.

O cenário para o primeiro Gastronômade de 2013 foi no ponto mais alto do Portobello Resort Safari, em Angra dos Reis no Rio de Janeiro, em uma pista de voo, em mais um lugar inusitado como propõe o projeto original, criado há 13 anos pelo americano Jim Denevan. 


O Outstanding in the Field ( OITF) - no Brasil conhecido como Gastronômade -, já percorreu os Estados Unidos, Canadá e alguns países da Europa. No ano passado, o evento foi realizado em algumas cidades brasileiras, inclusive em Florianópolis, no Mosteiro que fica no do Morro das Pedras. A ideia é promover um encontro gastronômico, sempre com um chef local, vinhos e produtos regionais em um cenário de tirar o fôlego. 


Cris Berger
Renata Runge e a Chef Roberta Sudbrack
no Gastronômade do Rio de Janeiro.
No Rio, além de atores da Rede Globo, o governador Sérgio Cabral também prestigiou o evento, que teve como chef Roberta Sudbrack e os vinhos da Villaggio Grando (VG).  Mesmo com garoa, os convidados que aproveitaram o primeiro encontro deste ano, se divertiram com a chuva. Os vinhos catarinenses da VG também fizeram sucesso. Foram servidos os espumantes, e vinhos branco e tinto. A publicitária Renata Runge é a responsável pelos eventos no Brasil.

Cris Berger
Os vinhos da Vilaggio Grando, de SC, animaram
o encontro.
Os próximos encontros acontecem neste final de semana e no outro, em Brasília e Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul, e no dia 16/3 aqui em Santa Catarina, na Ponta da Piteira na praia do Rosa. O chef escolhido foi o André Vasconcelos e os vinhos serão os catarinenses da Casa Pisani. Inscrições podem ser feitas pelo site  http://www.gastronomadebrasil.com/

Com texto de TEXTOCOM COMUNICAÇÃO - 48 9977-2127

sexta-feira, março 01, 2013

01/03/2013 - Na padaria, café da manhã de rainha

EDIÇÃO DE 01/03/2013  DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux
Um hábito que os florianopolitanos estão começando a conhecer mais de perto, e gostar: tomar café na padaria (ou mercearia, supermercado, hotéis).  Em São Paulo, onde já é uma prática arraigada, há buffets especializados que transformam a primeira refeição do dia em um verdadeiro brunch. Os especialistas em nutrição dizem que o café da manhã deve ser a principal refeição do dia.

Mariana Boro
Combo La da Esquina: baguete na chapa com manteiga,
iogurte natural, granola e salada de frutas.
Peça um espresso com leite e comece bem a manhã. Na La Padá.

Aonde?
Alguém tem o hábito de tomar café da manhã na rua? Lancei a pergunta no Facebook e, surpreendentemente, inúmeras foram as respostas positivas, apontando a padaria como local preferido, não só pela praticidade, mas também pelo prazer. “É o tipo de lugar para se degustar um café lendo o jornal, preparando seu dia”, contou Clóvis David Ghiorzi. Já a jornalista Monica Correa considera a situação perfeita para reuniões de negócios.  Alguns lugares facilitam e  oferecem combos, como a La Padá e a Dom Joaquim.

Divulgação
Combo 3: Salada de frutas com granola,  mel
e iogurte, pão integral, queijo branco blanquet
de peru e chá ou café.  Na Dom Joaquim.

Alguns lugares oferecem combos para facilitar, como a La Padá e a Dom Joaquim. 

Lugares onde você pode tomar seu café, sugeridos através do Facebook e Twitter.

Todos os dias
. La Padá
Av. Rio Branco, 597 - Centro
Rua Bocaiúva, 2468 – Centro
. Padoka
R.  Alm. Lamego, 1480 - Centro
. Santo Trigo
João Pio Duarte Silva, 1750 - Córrego Grande 
. Café Cultura
Rua Manoel Severino de Oliveira, 669 loja 3 - Lagoa
Rua Fernando Machado, 352 - Centro
. Bistro da Lucila
Alameda César Nascimento, 322 – Jurere

De 2ª a sábado
. Padeiro de Sevilha
R. Esteves Júnior, 214 - Centro
.  Pão Italiano
Rua Presidente Coutinho, 454 - Centro
Rua Frei Caneca, 544 - Agronômica  2ª a sábado
. Dom Joaquim
R. Pres. Coutinho, 652
. Ponto do Pão 
Av. Prefeito Osmar Cunha, 227 - Centro 
. Santo Trigo
Rua Tijucas, 13 - Estreito 
. Padaria Família Lorenzi
R. Rui Barbosa, 256 - Agronômica
. Café François Boulangerie
SC 401, 8600 – Corporate Park – Santo Antonio de Lisboa
Rua Germano Wendhausen, 190 – Centro
Café Paris (de 2ª a 6ª)
. Av. Madre Benvenuta, 1168 - Santa Mônica

Villa Francioni
Reconhecimento à vitivinicultura catarinense
O vinho Villa Francioni Rosé foi vencedor do teste às cegas que a Folha de São Paulo fez, semana passada, com 8 dos rótulos mais vendidos nessa categoria. O VF obteve maior pontuação, 4,2 pontos num total de 5.  

Leia a matéria na íntegra, aqui: http://www1.folha.uol.com.br/comida/1233038-teste-com-8-marcas-mais-vendidas-de-vinho-rose-revela-defeitos-graves-em-4-deles.shtml

Smoothie de iogurte
No liquidificador bata um pote de iogurte grego com ½ copo de leite, uma xícara de frutas vermelhas e duas colheres (sopa) de mel. Para finalizar, granola. Refeição completa!

French Toast
4 fatias de pão (de preferência brioche)
1 ovo batido
1 xícara (chá) de leite integral
3 colheres (sopa) de manteiga

Passe as fatias de pão no leite e depois no ovo batido.
Frite em fogo médio na manteiga, e sirva com o acompanhamento da sua preferência: açúcar e canela, geleia, mel, ricota, sal, requeijão, etc.

holamaria Stock Xchng
Pão de minuto
1 copinho de iogurte natural integral
2 colheres (sopa) de manteiga em temperatura ambiente
2 colheres (sopa) rasas de açúcar
1 colher (chá) rasa de sal
1 ovo inteiro
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de fermento em pó 
1 gema para pincelar
1. Em uma tigela, misture o iogurte, manteiga, açúcar, sal e o ovo. Bata bem. Sobre essa mistura peneire a farinha de trigo e o fermento e misture até obter uma massa homogênea.
2. Faça bolinhas, do tamanho de uma bolinha de ping pong. Coloque em uma assadeira untada com manteiga e pincele com a gema.
3. Leve ao forno médio (180oC) por 15 minutos. Sirva quentes, com manteiga e geleia.




Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu