Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

sexta-feira, março 23, 2012

23/03/2012 - Herança açoriana que vai à mesa

EDIÇÃO DE 23/03/2012 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA,
por Luciane Daux
Luciane Daux

Nesta sexta-feira de outono comemoramos o aniversário da nossa Florianópolis, um dia ótimo para vermos receitas que vieram das origens mais marcantes da cidade: as açorianas. Sendo os Açores um arquipélago formado por nove ilhas, pertencente a Portugal, pratos com frutos do mar estão muito presentes, em especial aqueles apresentados com batatas. As receitas de hoje reverenciam essa tradição.




Arredores da Praça XV? Não, Ilha Terceira, Açores.
Monica Correa

Raízes

"Visitar quatro ilhas do arquipélago dos Açores foi uma experiência incrível. Na Ilha Terceira, a mais parecida com Florianópolis, encontrei parte da família do meu pai, que em 1.800 emigrou para o litoral catarinense. Em Angra do Heroísmo a arquitetura e as tradições culturais, como a Festa do Divino, nos remetem ao estilo açoriano do florianopolitano." Jornalista Monica Correa, que visitou os Açores em 2009
 
Ilha X Cidade e a sucessão dos nomes

·         “Ilha de Santa Catarina: os índios carijós chamavam de Meiembipe (montanha ao longo do canal); em 1510 o espanhol Juan Dias de Solis, a caminho do Prata, arriba na Ilha e dá o nome de Ilha dos Patos. Em 1526 Sebastião Caboto, italiano a serviço dos Reis da Espanha, chega à Ilha e fica por três longos meses, lá na ponta sul da Ilha, entre Sul do Rio e Ribeirão. Na altura de novembro ele batiza a Ilha e terras continentais fronteiriças de Ilha de Santa Catarina.

·         Já a Cidade de Florianópolis, capital do Estado e distrito sede do município, foi fundada em 23 de março de 1726 por Dias Velho como Póvoa Nossa Senhora do Desterro. Depois passou a ser Vila do Desterro e finalmente, em 1894, Florianópolis.”

Professora Lélia Pereira Nunes, Socióloga, minha eterna Professora da UFSC, investigadora do Patrimônio Cultural Imaterial (experts/UNESCO,Mercosul), escritora

Receitasdeculinaria.com.pt
Caldeirada açoriana

2 cebolas

3 dentes de alho

1 kg de batatas

2 tomates

1,2 kg de peixe (congro ou outro peixe firme de carne branca)

1 ramo de salsa

Sal

Pimenta

2 cravos da India

1 colher (sopa) de colorau

100ml de azeite



1. Num tacho largo de barro, vá fazendo camadas alternadas de rodelas de cebola, dentes de alho, batatas e tomate, limpo de pele e sementes.
2. Por cima, disponha as postas de peixe lavadas e a salsa. Tempere com sal, pimenta, os cravinhos, o colorau e regue com o azeite.
3. Tape o tacho e leve a lume brando durante cerca de 40 minutos, agitando o tacho ocasionalmente, para que os ingredientes não se peguem ao fundo.
4. Um pouco antes do final, rectifique os temperos e sirva decorada com mais salsa.

5. Receita de www.receitasdeculinara.com.pt, transcrita tal e qual a encontrei! Vocabulário: tacho (panela), lume (fogo).



Cantina Sangiovese

Polvo grelhado com batatas ao murro e refogado do pescador (para duas pessoas)
Chef Helton Costa
2 Kg de tentáculos de polvo
1 cebola média cortada em tiras
3 dentes de alho esmagados rusticamente
300 g de mini batatas higienizadas e cozidas com casca
1 maço de brócolis
500 ml de vinho tinto seco
1 cálice de vinho branco seco
2 tomates sem pele e sem semente cortado em pétalas
Azeite de oliva
Sal
Pimenta do reino moída no momento

1. Em uma panela de pressão cozinhe o polvo por mais ou menos 40 minutos, em 1,5 litro de água e 500 ml de vinho tinto. Reserve.

2. Numa frigideira coloque os tentáculos do polvo já cozidos e limpos, e deixe dourar em um fio de azeite. Coloque o alho e deixe dourar, em seguida coloque a cebola e refogue. Junte o cálice de vinho branco, deixe que o álcool se evapore por alguns segundos, acrescente o brócolis, as batatas já cozidas e amassadas (dai a expressão batatas ao murro), acrescente ao refogado os tomates, acerte o sal e a pimenta a gosto.
3. Disponha o polvo com o refogado numa travessa e regue com
azeite em
abundância.

4. Agradecimento: Chef Helton Costa, vencedor do Prêmio Melhor Chef Veja 2011, e Cantina Sangiovese.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu