Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

quinta-feira, agosto 19, 2010

20/08/2010 - Muito além do pastel de bacalhau

EDIÇÃO DE 20/08/2010 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA
Por LUCIANE DAUX

(foto FlaviaC)
Quem gosta de gastronomia, quando vai à São Paulo tem passagem obrigatória pelo Mercado Municipal. Em 1933, quando aquela cidade contava com apenas um milhão de habitantes, ele foi inaugurado, na Rua da Cantareira. Local estratégico, pois, à época, a cidade era abastecida através de barcos que vinham das chácaras, sítios e até mesmo do exterior pelo vizinho rio Tamanduateí. Hoje, 77 anos depois, a maior cidade do Brasil tem 11 milhões de habitantes, e o Mercadão está cada vez mais atual e bonito. Nos 275 boxes encontramos de tudo: desde um chopp bem tirado, para acompanhar os famosos pastel de bacalhau e sanduiche de mortadela, até frutas e carnes exóticas, produtos árabes, azeites, embutidos. Se você nunca visitou esse templo da gastronomia, saiba que só isso já vale uma ida à capital paulista. Quando for, tome um chopp por mim!

Frutas exóticas (foto Malaysiabest)
Andar pelo Mercadão é abrir todos os sentidos a um novo universo. À medida que passamos pelas bancas de frutas, os vendedores nos oferecem: granadilha, pitaya, mamey, kino... A mais esquisita – e deliciosa - que provei foi a rambutam (foto). Nomes, sabores e cores surpreendentes.



Super sanduba (foto Abrasel SP)
O sanduíche de mortadela do Mercadão é delicioso por ser muito simples: em torno de 200g de mortadela em fatias bem fininhas, dobradas ao meio, dentro de um pão francês fresquinho e crocante. Reza a lenda que ele nasceu como vingança a um cliente habitual, que sempre reclamava da pouca quantidade de recheio do pãozinho francês. Foi um sucesso! A partir de então não teve mais jeito. O sanduiche de mortadela é sempre assim, exagerado e muito bommmmmm!

Para os loucos por gastronomia
Indo à São Paulo não deixe de visitar esses dois paraísos:
Empório Santa Maria – açougue, adega, bazar, frios e queijo, padaria e mercearia completíssimos em plena Avenida Cidade Jardim 790. www.emporiosantamaria.com.br
Casa Santa Luzia – rotisseria, bombonnière, cafés e chás, carnes, peixes, congelados, padaria, hortifruti e uma adega das mais refinadas. No segundo piso, uma completa seção de produtos naturais, orgânicos e funcionais. Na Alameda Lorena, 1471. www.santaluzia.com.br

Azeites de SC na 4ª Expoazeite
Você sabia que o Brasil já está começando a produzir seus primeiros azeites de oliva? Sim, e com otimismo para alguns locais do Sul do País, como Santa Catarina, onde há oliveiras experimentais sendo cultivadas. “Um fato inédito é que durante a ExpoAzeite apresentaremos ao mercado os primeiros azeites nacionais, produzidos em solo brasileiro”, ressalta Patricia Galassini, organizadora da 4ª Expoazeite, Feira Internacional de Azeites, Azeitonas e produtos Delicatessen. Em São Paulo, a feira acontece nos dias 13 e 14 de setembro, das 10h às 20h, no Centro Fecomércio de Eventos. E, no Rio de Janeiro, em 16 de setembro, das 12h às 20h, no Firjan – Federação das Indústrias do Rio de Janeiro. A entrada é gratuita.

Para colecionar
Bolinho de aipim com carne seca (foto divulgação)
(Receita do Tigrão Lanches, do Mercado Municipal de SP)
1 kg de aipim
2 litros de água
300g de manteiga
1 kg de farinha de trigo
1 kg de carne seca desfiada refogada com 100g de salsinha
100g de azeitona picada
200g de cebola roxa picada
100g de alho picado

1. Tire o fio do meio da mandioca e cozinhe em 2 litros de água, junto com a manteiga. Quando começar a desmanchar, tire a mandioca da água, amasse e coloque-a
novamente na água.
2. Vá despejando a farinha de trigo na água até a massa ficar concentrada. Deixe descansar por 15 minutos.
3. Refogue a carne seca com a salsinha picada. Coloque as azeitonas verdes a
cebola, alho e o azeite. Refogue bem tudo.
4. Misture a carne seca com a massa da mandioca até ficar consistente, sem grudar na mão. Faça os bolinhos e frite em óleo a 150°C.

Pastel de bacalhau (foto Hocca)
(Receita do tradicional Hocca Bar, Mercado Municipal de SP)
1 kg de bacalhau do porto desfiado
1 cebola picada
½ xícara de salsa ou coentro picado
1 xícara de azeite português
½ dúzia de azeitonas sem caroço
2 rolos de massa pronta para pastel
Óleo para fritar

1. Em uma tigela grande, coloque o bacalhau desfiado e cubra com água. Após sete horas, troque a água. Repita o procedimento três vezes.
2. Escorra, ponha o bacalhau em uma panela grande e cubra com água fria e limpa. Leve ao fogo por 30 minutos. Abaixe o fogo para médio e cozinhe por mais 40 minutos ou até que o bacalhau comece a se desmanchar, e escorra.
3. Com o peixe ainda quente, desfie-o com as mãos. Ponha numa tigela e junte a cebola, a salsa (ou o coentro) e o azeite. Misture bem.
4. Corte a massa em pedaços de 20 cm por 20 cm. Ponha ¾ de recheio sobre cada pedaço de massa e junte uma azeitona. Feche o pastel dobrando a massa ao meio e aperte as extremidades com um garfo.
5. Frite em óleo bem quente até ficar dourado.
6. Rendimento: 10 unidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu