Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

sexta-feira, maio 28, 2010

28/05/2010 - Firenze, amore mio

EDIÇÃO DE 28/05/2010 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux
(foto divulgação)

Florença (Firenze, em italiano), berço do Renascimento italiano e de grandes gênios como Leonardo da Vinci (da Monalisa), Michelangelo (de Davi), Dante Alighieri (d’A Divina Comédia) e Nicolau Maquiavel (de O Príncipe), entre tantos outros, é, para mim, a cidade mais bela do mundo, junto com Veneza. Capital da região da Toscana, é um museu a céu aberto. Uma das melhores cidades italianas para se comer e beber, considerando a vizinhança com regiões produtoras de vinhos de excelência, como o Chianti, Vin Santo e os especialíssimos Brunello di Montalcino e Bolgheri Sassicaia. Certamente, o lugar perfeito para se deixar il cuore (o coração).

Catarina de Médici (reprodução divulgação)
Uma das maiores influências na arte culinária francesa saiu justamente da Itália. O paladar apurado de Catarina de Médici, nascida em Florença, foi marcante e trouxe o desenvolvimento das artes culinárias e – dizem – a introdução da etiqueta e do uso do garfo na França. Ao se mudar para aquele país na metade do século XVI, afim de se casar com o futuro Rei de França Henrique II, levou da Itália seu próprio staff gastronômico, introduzindo iguarias até então desconhecidas dos franceses.

Sabores da memória
“No final do ano passado, em novembro, fui à Toscana. Em Firenze, voltei ao restaurante Frescobaldi, parada obrigatória dos apaixonados da boa cozinha, onde se pode pedir os mais variados pratos, porque tudo é divino. De entrada pedi uma gelatina de funghi com trufas. O prato principal foi polvo com tomates-cereja e alcachofra, regado ao melhor azeite de oliva com rótulo da casa. Na taça, um bom vinho Brunello. Também indico a perdiz com polenta trufada, pois na Toscana não há nada melhor...” (Serginho Arruda, do Emporium Bocaiuva)
Serviço:
Frescobaldi Ristorante & Wine Bar. Via dei Magazzini, 2-4/R – Florença/Toscana. Itália.


Bisteca famosa (foto divulgação)
A receita tradicional de Florença é a Bistecca Fiorentina, um corte com osso que engloba uma parte do contrafilé e do filé mignon (os americanos chamam de T-bone steak), e deve pesar entre 800g e 1 kg. Para fazê-la conforme a tradição, deve-se aquecer bem uma grelha sobre a brasa. A bisteca é assada por 4 minutos de cada lado, e é imprescindível servi-la ao ponto, com um fio de azeite de oliva toscano e limão siciliano, para quem gosta. É um prato tão tradicional que todo ano se faz um festival, a Sagra della Bistecca Fiorentina em Florença e nas cidades vizinhas, geralmente no mês de agosto.

Toscana em Florianópolis
Il Giro d’Italia é a proposta do Bianco Lounge em parceria com a Essen e Decanter Importadora, apresentando as diferentes culturas, temperos, costumes e estilos de 12 regiões da Itália. A cada 3ª feira uma região é enfocada. A gastronomia está a cargo do chef Luciano Boseggia, que ganhou notoriedade executando pratos clássicos italianos desde 1985 no Restaurante Fasano de São Paulo, e a harmonização com vinhos sul-americanos, apresentada pelo jornalista e sommelier João Lombardo. Nesta semana foi a vez da Toscana (veja a receita de Risotto). Semana que vem, a região será o Lazio. O preço é de R$ 68,00 por pessoa e inclui couvert com pão italiano, três pratos, degustação de quatro vinhos e uma sobremesa. Mais informações em http://www.biancolounge.com.br/
• Todo mundo se lembra da Bruschetteria da Lagoa. Pois José Roberto Seidl está de volta com sua Bruschetteria Cucina Toscana & Wine-bar. A música ambiente é simultânea ao que toca nos melhores lugares do mundo, além das deliciosas bruschettas e o melhor da cozinha Toscana. Na Avenida das Rendeiras, 1590, Lagoa da Conceição.
Para colecionar
Bruschetta ai pomodori (foto Renata Meira Ristori)(Ristorante Il Fiesolano, Florença/Itália)
4 fatias de pão italiano
1 dente de alho
4 tomates maduros, sem pele ou sementes
Algumas folhas de manjericão fresco
Sal e pimenta do reino
Azeite de oliva

1. Passe um pouco de azeite de oliva sobre um dos lados da fatia de pão e doure-a rapidamente sobre uma grelha. Pode ser na frigideira.
2. Esfregue o dente de alho cru no lado torrado das fatias de pão e reserve-as.
3. Pique os tomates sem pele e sem sementes, coloque sobre as fatias de pão.
4. Salpique sal e pimenta do reino.
5. Enfeite com as folhas de manjericão.
6. Regue com um bom azeite de oliva italiano, de preferência da Toscana.
7. Rendimento: 4 porções.
Agradecimento: Renata Meira e Daniele Ristori, que me levaram ao Ristorante Il Fiesolano.

Risotto di carciofi alla Senese
(Risoto de alcachofras a moda Senese) (foto Bianco Lounge)(Chef Luciano Boseggia)
125g de arroz vialone nano
2 colheres (sopa) de manteiga
850ml de caldo de carne
2 fundos de alcachofra
70g de presunto cru
50ml de vinho branco seco
40g de queijo parmesão ralado
1/2 colher (sopa) de cebola picada
1 dente de alho amassado
1 colher (sopa) de azeite
1. Refogue a alcachofra com a cebola e o alho no azeite e um pouco da manteoga.
2. Acrescente o arroz e refogue.
3. Coloque o vinho branco, mexa, e em seguida, acrescente o caldo aquecido a 60oC, aos poucos.
4. Cozinhe, mexendo periodicamente, por cerca de 13 minutos.
5. Junte o presunto cru cortado em tirinhas finas. Deixe cozinhar mais 3 minutos.
6. Retire do fogo, junte a manteiga restante e o parmesão.
7. Decore com uma pétala de alcachofra e uma flor de presunto cru.

quarta-feira, maio 26, 2010

Cinema e Vinhos - A harmonização perfeita

Lá vem o final de semana de novo e a previsão é de frio. Perfeito para um vinho, um filme e uma boa companhia. Os dois primeiros você encontra aqui Cinema e Vinhos - A harmonização perfeita. Sugestões do Ricardo Erig com entrega a domicílio.

Vale a pena conferir!



Fones 3225-5411 ou 9119-5857 ou email ricardoerig@uol.com.br

sábado, maio 22, 2010

Sugestão de presente para o DIA DOS NAMORADOS

Uma sugestão de presente mais do que exclusivo: CESTAS "IN LOVE" da Paula, do blog Chez Popi.



Nas cestas vêm com dois cupcakes apaixonados, um saquinho de macarons (abertos) ganache de chocolate com pimenta para recheá-los, um espumante, um cartão, e uma camisinha (essa Paula é mesmo antenada).

O valor das cestas é R$60,00. Encomendas até o dia 5 de junho, e as entregas serão feitas no sábado, dia 11/06.

Fone 9981-4079 ou http://paulapopi.blogspot.com/

sexta-feira, maio 21, 2010

21/05/2010 - Bahia de todos os sabores

EDIÇÃO DE 21/05/2010 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux

Bahia de todos os sabores (foto divulgação)
Para fazer comida baiana legítima, na cozinha tem que ter pimenta de cheiro, leite de coco e azeite de dendê. Um cheiro de coentro fresco, também. Rica em sabor, perfume e cor, essa cozinha é fruto da herança africana, mas também de hábitos alimentares dos índios e portugueses, num equilíbrio apreciado em todo o Brasil, e que já atravessou fronteiras verde-amarelas. Quinto maior Estado do país e um dos mais belos, na Bahia a miscigenação resultou num povo alegre e hospitaleiro, sim, senhor!








“No tabuleiro da baiana tem
vatapá, caruru, mungunzá, tem umbu
Pra ioiô
Se eu pedir você me dá
O seu coração, seu amor
De Iaiá
No coração da baiana também tem
Sedução, cangerê, candomblé, ilusão
Pra você.”
(No Tabuleiro da Baiana, de Ary Barroso)


Macarrão para celíacos
Novidade para os celíacos: duas marcas de macarrões de arroz já estão disponíveis nas prateleiras do Hippo Supermercado: Urbano e Blue Ville. Por não levar trigo, este macarrão não tem glúten e pode ser consumido por celíacos. Pioneiro em SC na disponibilização de produtos sem glúten, voltados aos celíacos, o Hippo coordena, inclusive, uma associação de portadores de intolerência a esta substância.

Dendê (ilustração divulgação)O dendê é o fruto do dendezeiro (foto), palmeira que alcança até 15 metros de altura, originária do continente africano. Foi trazida ao Brasil no século XVII. Em torno de 80% do dendê plantado no país está no Pará. O dendê é um fruto de cor alaranjada, e de semente muito grande. Produz 10 vezes mais óleo que a soja. É fundamental na cozinha baiana.



Molho de pimenta (foto divulgação)Para fazer um bom molho de pimenta caseiro, bata todos os ingredientes no liquidificador, e guarde-o na geladeira, em vidros bem fechados. Dica: tire as sementes da pimenta para um molho menos “quente”. Se for muito corajoso (a), deixe as sementes.
50g de pimenta dedo-de-moça
1 cebola branca
5 dentes de alho
1 lata pequena de extrato de tomate
2 cravos da índia
2 xícaras (chá) de vinagre de arroz
1 xícara (chá) de azeite de oliva
Sal a gosto

Moqueca mista de peixe e camarão da Dadá (foto Tadeu Bianconi)
300 g de badejo ou vermelho
300 g de camarão fresco
3 tomates grandes picados
2 cebolas grandes picadas
1 pimentão médio picado
1 molho pequeno de coentro
4 galhos de cebolinha verde
suco de 1 limão
leite grosso de 4 cocos
3 colheres de sopa de azeite de oliva
2 colheres de sopa de azeite de dendê
4 dentes de alho
1 colher de sopa de sal
Preparo:

1. Tempere o camarão e o peixe com alho, sal, 4 galhos de coentro e deixe descansar por pelo menos uma hora.
2. Pique e machuque o restante dos temperos, adicione o suco de limão e divida em duas partes.
3. Coloque numa panela o peixe e o camarão com uma parte do tempero e leve ao fogo para refogar por três minutos, sem mexer. Em seguida coloque o leite de coco, mexendo sempre, com cuidado pra não quebrar o peixe.
4. Depois coloque a outra parte do tempero e o azeite de oliva, deixando no fogo por mais 15 minutos. Antes de retirar do fogo, coloque o azeite de dendê. Decore com tomate, cebola, pimentão em rodelas e folhas de coentro. Sirva com arroz e farofa.
5. Dadá é Aldaci dos Santos, famosa chef baiana.

Cocada baiana (foto Patricia Scarpin,  blog Technicolor Kitchen)
500 gramas de açúcar
1 copo americano de água
1 colher de glucose
1kg de coco fresco ralado
1 lata de leite condensado

1. Leve ao fogo o açúcar, a água e a glucose. Não mexa até dar ponto de calda grossa.
2. Junte o coco e, no fogo baixo, mexa até a calda secar.
3. Acrescente o leite condensado e continue mexendo, até a cocada soltar do fundo da panela.
4. Coloque numa superfície fria (mármore) e, com uma espátula, revolva a massa até esfriar.
5. Corte em porções menores e sirva.

quinta-feira, maio 13, 2010

14/05/2010 - Arroz


EDIÇÃO DE 14/05/2010 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux
(foto divulgação)

Ultrapassado apenas pelo milho e pelo trigo, o arroz é a 3ª maior cultura de cereal do mundo, e alimenta mais da metade da população humana. Da família das gramíneas, é cultivado há pelo menos 7 mil anos. A cultura foi introduzida no Egito e na Itália pelos árabes. Na Itália, com os risotos e na Espanha, com as paellas, o arroz ganhou destaque na gastronomia mundial. Branco, parboilizado ou integral, negro, selvagem ou arbório (tipo italiano), é alimento apreciado no mundo inteiro. Versátil, saboroso e barato!

Beleza (foto divulgação)
(legenda) Os arrozais em terraços das Cordilheiras das Filipinas foram elevados a Patrimônio Mundial pela Unesco. Os terraços têm cerca de 2000 anos de existência.

Você sabia?
A produção brasileira de arroz chega a 11 milhões e 500 mil toneladas/ano. (fonte: UFRGS)

Dicas (foto divulgação)
Para fazer um risotto italiano, use o arroz adequado: arbório ou carnaroli, por exemplo, vão bem. Considere 90 g de arroz por pessoa. Nunca lave esse tipo de arroz, pois isso retiraria um pouco do amido, necessário à “liga” característica desse prato.





Para colecionar
Torta doce de arroz com amêndoas
(foto divulgação Arroz Urbano)
(do meu caderno de receitas)
1 xícara de chá de arroz arbório
2 xícaras de chá de leite
2 colheres de sopa de raspas de limão
4 biscoitos tipo champanhe
3 ovos
¾ de xícara de chá de açúcar cristal
1 xícara de chá de amêndoas sem pele
1/3 de xícara de chá de licor de amêndoas (Frangelico ou Amareto) ou outro
Açúcar de confeiteiro para decorar

1. Aqueça o leite com ½ xícara de chá de açúcar e cozinhe ali o arroz, mexendo de vez em quando, por 35 minutos. Deixe esfriar.
2. Num processador (ou liquidificador), coloque as amêndoas e os biscoitos champanhe. Use o botão “pulsar”, para que fique grosseiramente picado, mas não muito fino.
3. Misture a farofa de amêndoas e biscoito, o licor e as gemas ao arroz já frio.
4. Bata a clara em neve, com o 1/3 de xícara de açúcar restante e junte à mistura de arroz.
5. Unte com manteiga uma forma redonda de fundo removível, de 20 cm de diâmetro, e polvilhe com farinha de rosca bem fina e clara.
6. Coloque a massa na forma e leve ao forno médio por 30 minutos ou até dourar.
7. Retire do forno, deixe esfriar e retire da forma. Polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva.

Arroz de siri (foto Abrasel)
200 g de siri
100 g de arroz branco cozido
10 g de pimentão de cada cor (verde, vermelho e amarelo)
50 ml de azeite de alho
01 dente de alho picado
1/3 cebola picada
01 tomate picado sem pele e sem semente
100 g de batata palha
05 folhas de manjericão
05 folhas de coentro
Sal, pimenta moída na hora e ciboulette picada (a gosto)

1. Aqueça uma panela e coloque o azeite. Refogue o alho, a cebola, os pimentões, o tomate e o siri. Quando estiver tudo murcho, jogue o arroz e mexa bem.
2. Acrescente o coentro, o manjericão, a ciboulette picados e por último a batata palha.
3. Regue com azeite, reveja o sal e a pimenta moída na hora.
4. Receita do Bar do Victor/Antonina-Paraná.

sexta-feira, maio 07, 2010

Casar? Sim!

(ilustração divulgação)
Casar está na moda. Sempre esteve, que me desculpem os menos românticos. Primeiras ou segundas núpcias - e não importa sequer a idade, com algumas variações as festas de casamento continuam fazendo brilhar os olhos dos casais apaixonados, ao som de grandes bandas ou as modernas baladas. Bolo com champanhe em casa ou um grande Buffet? Ora, faça como puder! O que importa mesmo é o sonho da felicidade a dois.








Como? (foto Lauro Maeda)
O Cerimonial é o profissional responsável por toda a organização do casamento, orientando os noivos em tomadas de decisão. Por exemplo, na escolha dos demais profissionais que farão o "Grande Dia". Veja o que dizem Humberto e Oscar sobre a definição do tamanho da festa: “O número de convidados e a quantia que os noivos pretendem gastar é que são as principais variáveis para se começar a pensar no tipo de festa que será oferecido - coquetel, coquetel seguido de jantar, somente jantar ou apenas bolo com champanhe.” (Humberto e Oscar, da Leal Ventura Cerimonial. www.lealventura.com.br)

Quando?
Os meses de dezembro - por causa do 13º salário - e setembro são os mais procurados para a realização de casamentos, seguidos por abril, maio e outubro. Tudo levando em consideração o clima e a beleza das estações.

Onde? (foto Adriano Rebelo)
Essencial é a escolha do lugar. “O espaço para a festa de casamento é fundamental. Deve ser bonito, romântico, ter excelentes buffet e serviço e ter um bom estacionamento, que é uma coisa que as pessoas raramente se preocupam. Para se fazer um casamento num espaço assim especial é preciso fazer uma reserva de data com pelo menos um ano de antecedência.” (Thaiana Pasin, Gerente de Eventos Fechados do P12 e Grupo El Divino www.eldivinobrasil.com.br)


Com quem?
Com alguém por quem se tenha admiração, respeito e que retribua esses sentimentos. E, que, de preferência, cozinhe muito bem!

Mostra Belle Blanc
Apresentar o que há de mais elegante para a organização de eventos muito especiais, como casamentos, formaturas, aniversários. Este é o objetivo da 9ª Mostra Belle Blanc, que acontece no paradisíaco P12, em Jurerê Internacional, de 14 a 16 de maio. Serão mais de 40 expositores gabaritados reunindo tudo o que se precisa para realizar a festa dos sonhos. Os visitantes desfrutarão de desfile de noivas e lingerie, apresentações de dança, coquetéis, degustações e um ambiente lindamente decorado.

Para colecionar
Bem Casados (foto Leal Ventura)
(Chef Oscar Ventura)
Simbolizam a partilha da felicidade dos noivos. De tradição portuguesa, esses delicados bolinhos são feitos com massa leve e calda de açúcar, com recheios de variam do tradicional doce de leite ao creme de ovos, chocolate e até mesmo goiabada.
6 ovos (claras e gemas separadas)
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de farinha
1 colher (sobremesa) de fermento em pó
Doce de Leite
Açúcar de Confeiteiro

1. Bata as claras em neve. Junte o açúcar e as gemas e continue batendo bem. Acrescente a farinha, o amido e o fermento peneirados. Bata até ficar homogêneo.
2. Divida a massa em duas partes iguais e coloque em duas assadeiras rasas, com 30cm de diâmetro, forradas com papel manteiga untado. Asse durante 15 minutos em formo médio, pré-aquecido. Desenforme e corte com cortadores redondos.
3. Una as duas partes recheando-as com o doce de leite. Depois de frios, cubra-os com o açúcar de confeiteiro peneirado.
4. Embalagens: coloque os bem-casados em papel celofane transparente e em pacotinhos de papel crepom coloridos, e amarre com fitinha de cetim.
Agradecimento: Oscar Ventura Doces – 3222-4729 ou 9958-4766

Cupcakes apaixonados (foto Chez Popi)
(Chef Anna Paula Silva)
São mini-bolinhos com cobertura cremosa, originários dos EUA. Podem ser feitos em vários sabores e ficam lindos como lembrancinha do casamento.
Massa:
150g de manteiga sem sal
1/2 xícara (chá) de açúcar mascavo
1/4 xícara (chá) de mel
2 ovos
1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
1/2 xícara (chá) de chocolate em pó
1 colher de (sobremesa) de fermento em pó

1. Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar mascavo até obter uma mistura cremosa. Sem parar de bater, acrescente os ovos, um a um, intercalando com a farinha (já misturada previamente com o chocolate e o fermento) e por último o mel. Misture bem.
2. Coloque a massa nas forminhas (de empadinha) - não precisa untar pois elas estarão com as forminhas de papel - distribua-as em uma assadeira e leve ao forno pré-aquecido a 200oC, por 25 a 30 minutos.
3. Deixe esfriar e desenforme.
4. Rende 12 minicups e 5 cups original size.

Ganache brigadeiro de chocolate:
1 lata de leite condensado
1/2 colher (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de chocolate em pó
2 colheres de (sopa) de creme de leite
Pimenta branca moída a gosto

1. Numa panela misture o leite condensado a manteiga e o chocolate. Deixe chegar em ponto de brigadeiro.
2. Quando desgrudar o fundo da panela, retire do fogo e acrescente o creme de leite, uma colher de cada vez até ficar homogêneo.
3. Depois salpique com pimenta a gosto. Vai dar um sabor "hot love" especial na sua cobertura.
Agradecimento: Chez Popi. Fone 9981-4079 ou http://paulapopi.blogspot.com/
Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu