Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

quinta-feira, abril 29, 2010

30/04/2010 - Cozinhando com Jorge Amado

EDIÇÃO DE 30/04/2010 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, por Luciane Daux

(foto divulgação)
Jorge Amado dizia que personagem tem de ser vivo, de carne e osso. Então, se não comer, morre. Em seus livros encontramos muitas receitas, descritas com acuidade e detalhes que nos fazem estalar os lábios e salivar ao ler. Moquecas, por exemplo, estão em quase todos romances: Quincas Berro d'Água, Tieta do Agreste e Gabriela Cravo e Canela. Doces de coco, ovos, leite em profusão. As mulheres amadianas tinham mão boa na cozinha, como Flor, que “nascera com a ciência do ponto exato”.










“A vida me deu mais do que pedi e mereci. Não me falta nada. Tenho Zélia e isso me basta. - Jorge Amado, na foto com a mulher Zélia Gattai (foto divulgação)









Para ler (foto divulgação Editora Record)
A Comida baiana de Jorge Amado ou O livro de receitas de Pedro Archanjo com as merendas de dona Flor. Paloma Amado Costa, Editora Record, 2003. Em seis anos pesquisando nos livros do pai, Paloma fez um levantamento completo dos pratos e acepipes citados por Jorge Amado, e descreve os mais saborosos neste livro. São 142 receitas que usam dendê, pimenta-de-cheiro, canela e jaca, entre outros ingredientes perfumados, buscadas por Paloma “com as quituteiras que papai consultava para seus livros: Dona Maria, Ayla, Dadá, dona Canô”. Em www.americanas.com.br por R$ 47,90







Para colecionar
Vatapá (foto Creative Commons)
1 kg de pão dormido
1 kg de cebolas
½ kg de camarão seco
300g de amendoim
250g de castanha de caju
1 copo de leite de coco grosso
2 copos de leite de coco fino
50g de gengibre
2 xícaras de azeite-de-dendê*
Sal a gosto

Caldo de peixe:
1 cabeça de peixe
1 molho de coentro
3 dentes de alho
2 tomates grandes
2 cebolas grandes
1 colher (café) de pimenta-cominho
2 pimentas de cheiro
1 limão
Sal a gosto

1. Para o caldo, bata no liquidificador a cebola, tomate, alho, coentro, limão e ½ copo d’água. Tempere a cabeça de peixe com essa marinada e leve para cozinhar tudo em panela tampada, até obter um caldo. Coe e reserve.
2. Numa tigela, coloque o pão amanhecido picado e cubra com o leite de coco ralo. Liquidifique e reserve.
3. Processe ou liquidifique a cebola com o camarão seco e leve para refogar no azeite-de-dendê. Junte o pão amanhecido liquidificado.
4. Liquidifique o amendoim, a castanha e o gengibre com o leite de coco. Junte ao vatapá.
5. Junte o caldo da cabeça de peixe e cozinhe em fogo baixo até soltar do fundo da panela.
6. Rendimento: 10 porções.
7. Receita do livro A cozinha baiana de Jorge Amado.

• * Para o nosso paladar, sugiro usar a metade da quantidade indicada de azeite-de-dendê.

Pudim de tapioca (foto divulgação)
1/2 xícara (chá) de tapioca granulada
1/2 litro de leite
4 ovos (separados da seguinte forma: 3 gemas, 3 claras em neve e 1 ovo inteiro)
1 lata de leite condensado
1 vidro de leite de coco (200ml)
1/2 coco ralado
2 colheres (sopa) de manteiga

1. Primeiro, hidrate a tapioca: ferva o leite, retire do fogo e imediatamente coloque a tapioca. Misture tudo, cubra com uma tampa e deixe descansar.
2. Caramelize com açúcar a fôrma de pudim.
3. Raspe o coco e bata todos os ingredientes (exceto as claras em neve) no liqüidificador por três minutos.
4. Pré-aqueça o forno (temperatura máxima)
5. Introduza as claras aos ingredientes batidos, misture-as delicadamente, despeje na fôrma, cubra com papel-alumínio.
6. Leve ao forno em banho-maria e deixe em fogo máximo por exatamente 30 minutos. Depois desse tempo, retire o papel e deixe por mais 30 minutos até dourar, mas sem abrir o forno.
7. Retire o pudim, deixe esfriar em temperatura ambiente e depois conserve em geladeira na própria fôrma. Sirva com baba-de-moça.
8. Rendimento: 6 porções.

3 comentários:

  1. quando eu lia jorge amado sempre imaginava os cheiros das comidas 'dele'.

    fiquei feliz de saber desse livro da paloma!

    ResponderExcluir
  2. Que bacana, Aline! Pois saibas que ele se preocupava verdadeiramente com o que seus personagens comiam. Sorte nossa, que encontramos receitas tão maravilhosamente descritas na obra de Jorge Amado.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. ele gostava mesmo de vatapar

    ResponderExcluir

Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu