Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

quinta-feira, dezembro 31, 2009

31/12/2009 - 3, 2,1: chegou 2010!

EDIÇÃO DE 31/12/2009 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, POR LUCIANE DAUX
ch(foto divulgação)
Para um ano doce e que “ande para frente”, tender . Para fartura e bastante dimdim, uma salada de lentilhas. E para um ano novo cheio de bons motivos para comemorar, espumante. Pronto! Estamos em cima do laço, mas vai dar tempo para tudo, até para você fazer aquele banho de ervas e se preparar para um ano novo glorioso. Mas ... deixando um pouco o fogão de lado, assim como acontece com todo mundo nestes dias também eu me ponho a refletir sobre o que deixei de fazer e o que fiz no ano que finda, e o que pretendo realizar neste que entra. Em meio a tantas tarefas, escrever essa coluna foi uma das que mais me deram prazer. Quando penso que as receitas aqui publicadas possam ter sido solução do almoço para a leitora ou o leitor, que as curiosidades que aqui contei possam ter servido de assunto para dois desconhecidos na fila do supermercado, alimento a minha fantasia de que, de alguma forma, fiz parte do seu dia-a-dia. Então alegro-me e sou grata por isso. Um beijo grande e nos vemos logo ali, em 2010!

Produção nacional (foto divulgação Dal Pizzol)
O que beber neste Natal e Ano Novo? O versátil espumante, digo eu, que vai bem de manhã à noite, do aperitivo à sobremesa. O Brasil já é reconhecido mundialmente como um excelente produtor de espumantes. Exemplo é o espumante Do Lugar, da Vinícola Dal Pizzol, que ganhou a única medalha de ouro no VI Concurso do Espumante Brasileiro em 2009. Quem o avalia para Cozinha de Estar é a Sommelier Regina Essenburg: “- Elaborado através do método charmat longo, das uvas Chardonnay e Pinot Noir, tem aroma complexo e rico lembrando frutas, com destaque para o pêssego maduro, amêndoas e um toque sutil de flores. No paladar apresenta equilíbrio e harmonia, com muita delicadeza e frescor.” R$ 27,70/garrafa na Essen Vinhos, em Florianópolis. Fone: 3223-1500

Espumante: dicas de serviço (foto divulgação)
• Serve-se o espumante entre 8 e 10oC. Para isso, basta colocar a garrafa num balde com gelo e água por 30 minutos, ou deixá-la 3 horas no refrigerador
• A taça ideal é a “flûte”, pois diminui a superfície da bebida em contato com o ar, mantendo, assim, a “perlage” (efervescência) por mais tempo


Colecione
Tender caramelizado
(foto divulgação)
(do meu caderno de receitas)
1 peça de tender de até 1 kg
1/2 xícara (chá) de geléia de laranja
4 colheres (sopa) de mostarda
1 xícara (chá) de vinho branco seco
2 colheres (sopa) de manteiga
1 vidro de compota de laranja*
cravo-da-índia para decorar

*Se não encontrar a compota de laranja, substitua por abacaxi em calda

1. Misture a geléia de laranja à mostarda, vinho branco e ½ xícara de chá da calda da compotae deixe o tender marinando nessa mistura por 3 ou 4 horas.
2. Retire o tender da marinada. Faça riscos cruzados na sua superfície e, em cada cruzamento, espete um cravo da Índia.
3. Unte uma assadeira, e espalhe a manteiga sobre o tender, e também a marinada.
4. Leve ao forno médio pré-aquecido por 25 minutos, regando com a marinada a cada 10 minutos.
5. Pode ser servido frio, decorado com a laranja em compota e paus de canela.
6. Rendimento: 6 porções.

Salada mediterrânea de lentilhas (foto divulgação)
500g de lentilhas
1 cebola grande picada
2 colheres (sopa) de manteiga
½ pimentão vermelho em cubinhos
1 pepino japonês em cubinhos
½ xícara (chá) de folhas de hortelã picadas
1/2 xícara (chá) de óleo de oliva
Suco e raspas de um limão siciliano ou tahity
1 colher (sopa) de mostarda
Sal e pimenta do reino a gosto

1. Deixe a lentilha de molho em água por 3 a quatro horas, depois leve para cozinhar por 20 minutos, para que fique levemente macia. Escorra e deixe esfriar. Junte o pepino e o pimentão.
2. Refogue a cebola na manteiga. Desligue. Junte as raspas e o suco de limão, o óleo de oliva, mostarda, sal e pimenta do reino e misture bem.
3. Coloque esse molho sobre a lentilha já fria, salpique a hortelã picada e sirva.

sexta-feira, dezembro 25, 2009

25/12/2009 - Parceria entre Grupo El Divino Brasil e Luciane Daux

Diário Catarinense - Juliana Wosgraus
22 de dezembro de 2009

Manoel Zaroni, presidente da Tractebel, comemorou aniversário no El Divino Beach, em Jurerê Internacional, sexta-feira. A festa reuniu seletos amigos, entre eles Alcântaro Correa, Paulo Bauer e Glauco Côrte, entre outros poderosos locais e convidados vips de todo o Brasil. Zaroni estava feliz e recebeu os convidados na companhia da mulher Vera Lúcia e a filha Ana Paula Torres, estilista de sapatos. Ela vai casar em abril do ano que vem, em Floripa. O bufê da festa de aniversário foi assinado pela chef Luciane Daux, que acaba de iniciar uma parceria para eventos especiais com o Grupo El Divino Brasil.

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2755733.xml&template=3916.dwt&edition=13772§ion=1827

domingo, dezembro 20, 2009

20/12/2009 - Sopas frias

EDIÇÃO DE 20/12/2009 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, POR LUCIANE DAUX

(foto divulgação)
Quando a Susana Rigo me ligou pedindo receitas de sopas frias, para apresentar no seu programa PLENITUDE, logo lembrei de duas que eu adoro:

Borscht
A Borscht é uma sopa de beterraba, de origem russa, que pode ser servida fria ou quente.

8 beterrabas cozidas ou assadas
2 colheres (sopa) de manteiga
1 cebola média picada
2 colheres (chá) de açúcar
1 litro de caldo de carne ou galinha
2 colheres (sopa) de suco de limão
1 xícara (chá) de creme de leite fresco
sal e pimenta-do-reino a gosto

1. Doure a cebola na manteiga, acrescente a beterraba, o açúcar, o caldo de galinha e aumente o fogo até levantar fervura. Desligue e deixe resfriar.
2. Bata tudo no liquidificador com o suco de limão. Tempere a sopa com sal e pimenta-do-reino.
3. Para servir fria, leve à geladeira por no mínimo 1 hora, com uma colherada de creme de leite por cima.


Gazpacho
Sopa fria típica da Espanha, da região da Andaluzia.

1 dente de alho
2 colheres (sopa) de azeite de oliva virgem
5 tomates sem pele nem sementes picados
1 cebola em pedaços
100 de pepino sem pele em pedaços
2 fatias de pão de forma
1 ½ colher de sopa de Aceto Balsâmico de Modena
Sal e pimenta-do-reino a gosto
250ml de água fria
Cubos de gelo (opcional)

1. Bata todos os ingredientes no liquidificador.
2. Decore com tomate e pepino picadinhos, e salpique com croûtons.

sábado, dezembro 19, 2009

18/12/2009 - Esperando Nicolas

EDIÇÃO DE 18/12/2009 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, POR LUCIANE DAUX










Esperando Nicolas (ilustração funmunch.com)
Li que Nicolas nasceu no ano de 261, em Myra, na Asia Menor (onde hoje é a Turquia). Os pais, muito felizes com o seu nascimento, passaram a distribuir alimentos, roupas e dinheiro entre os pobres. Nicolas tornou-se bispo, muito amado pelo povo. As culturas alemã e holandesa trataram de divulgar seus feitos, chamando-o de Sinterklass, Saint Nicoleses e finalmente Santa Claus ou Klaus. Para nós, Papai Noel. É amado pelas crianças e respeitado pelos adultos, uma figura capaz de unir a humanidade em torno de coisas boas como o amor, ternura, paz. Bem, aqui estamos: é Natal de novo. Hora de começar a pensar com alegria no que fazer para esperar o “Bom Velhinho”. Minha proposta é esquecer as tradições herdadas do hemisfério norte – onde é inverno e neva, e pensar que aqui, abaixo da linha do equador, lá fora o Sol diz é quase verão. Vai bem uma ceia com camarão e a manga, e a batata doce e castanha do Pará. Estou certa que Nicolas vai adorar esses sabores tropicais. HO HO HO, feliz Natal!

Pão do Toni ou Panetone? (foto divulgação)
Originário de Milão, Itália, não se sabe bem ao certo como nasceu o Panetone.
Muitas das histórias a esse respeito falam de um padeiro de nome Toni, que ao fazer um pão, acrescentou à massa frutas cristalizadas e nozes. De pan Del Toni (pão do Toni) a Panetone foi uma mordida!





Ação de Cidadania (foto divulgação)
Para manter a magia do Natal, todo ano voluntários dos Correios lêem e separam as muitas cartinhas enviadas para Papai Noel. Cartas-respostas são enviadas e também presentes, caso a cartinha seja adotada por algum bem-feitor ou bem-feitora. Para adoção, são priorizadas as cartas escritas por crianças de até 10 anos, que não tenham sido contempladas com presentes no ano passado e contenham pedidos de brinquedos. Todos podem colaborar, tanto como voluntários para auxiliar na leitura e triagem das cartas, como para adotar um pedido. Em Santa Catarina, informe-se nos Correios pelos fones (48) 3954-4390/ 3229-4345.

Para todas as ocasiões (foto divulgação Dal Pizzol)
O que beber neste Natal e Ano Novo? O versátil espumante, digo eu, que vai bem de manhã à noite, do aperitivo à sobremesa. O Brasil já é reconhecido mundialmente como um excelente produtor de espumantes. Exemplo é o espumante Do Lugar, da Vinícola Dal Pizzol, que ganhou a única medalha de ouro no VI Concurso do Espumante Brasileiro em 2009. Quem o avalia para Cozinha de Estar é a Sommelier Regina Essenburg: “- Elaborado através do método charmat longo, das uvas Chardonnay e Pinot Noir, tem aroma complexo e rico lembrando frutas, com destaque para o pêssego maduro, amêndoas e um toque sutil de flores. No paladar apresenta equilíbrio e harmonia, com muita delicadeza e frescor." R$ 27,70/garrafa na Essen Vinhos, em Florianópolis.

Para colecionar
Camarões tropicais
(foto divulgação)
1 kg de camarões médios descascados
2 colheres (sopa) de manteiga
1 cebola pequena picada
2 colheres (sopa) de gengibre picado fino
2 dentes de alho picados
½ copo de vinho branco seco
2 mangas maduras em cubinhos
Sal e pimenta do reino a gosto

Tempere os camarões com sal e pimenta, e refogue-os aos poucos, em metade da manteiga. Reserve-os numa travessa à parte.
Na mesma frigideira, sem lavar, acrescente o restante da manteiga e doure a cebola. Acrescente o alho e o gengibre e refogue.
Junte o vinho branco e a manga em cubinhos. Deixe apurar por 5 minutos.
Junte o camarão reservado, acerte o sal e sirva.
Rendimento 5 porções

Recheio de batata doce para ave natalina (foto divulgação)
10 fatias de pão de forma
1 xícara (chá) de castanha do Pará picada
1 cebola picada
3 xícaras (chá) de batata doce cozida e picada em cubos de 1,5cm
4 colheres (sopa) de manteiga
250g de bacon frito e picado
500ml de caldo de galinha com baixo teor de sódio e gordura*
1 maço de salsinha picado
Sal, pimenta do reino e noz moscada a gosto

1. Corte as fatias de pão em dadinhos de 1 cm. Derreta duas colheres de sopa de manteiga em uma frigideira. Junte os dadinhos de pão, e, no fogo baixo, mexendo constantemente, doure-os. Desligue e reserve.
2. Numa panela, derreta as 2 colheres (sopa) restantes e refogue a cebola até dourar. Junte o bacon frito, a castanha do Pará picada e a salsinha. Acrescente a batata doce picada e os dadinhos de pão dourados e misture bem.
3. Com metade do caldo de galinha, umedeça um pouco os ingredientes do recheio. Se quiser um recheio mais úmido, coloque todo o caldo. Recheie a Gran Ave.
4. O que sobrar do recheio você pode colocar numa folha de papel alumínio untada, apertar fazendo um rolo, e fechar as bordas, como uma bala grande. Faça alguns furos com a faca e leve para o forno, para assar junto com a Gran Ave, molhando eventualmente com o molho. Depois é só abrir e servir junto.
5. Rendimento: 8 porções

Fonte: WWW.macedo.com.br

quarta-feira, dezembro 16, 2009

11/12/2009 - Cupcakes: presentes que saem do seu forno

EDIÇÃO DE 11/12/2009 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, POR LUCIANE DAUX
(foto divulgação Atelier Chez POPI)
Clássico bolinho americano, seu nome vem da forma onde é assado, que tem o tamanho e o formato de uma xícara. Alguns até o chamam de “bolo de xícara”. Podem levar montanhas de coberturas, butter cream (creme de manteiga), glacê, geléia, ganache, chantilly... A decoração fica por conta da sua criatividade. E por quê fazer e presentear neste Natal com cupcakes? Porque serão presentes exclusivos e gostosos, como o carinho que você coloca em tudo o que faz para quem você ama!



Refeição orgânica certificada
O restaurante Big Bamboo, em Florianópolis, foi o primeiro em SC a receber o certificado de Refeição 100% Orgânica, emitido pela ECOCERT. O Prato Social Orgânico é composto por salada verde, arroz, feijão, farofa, legumes ao bafo e pode ser acompanhado de tilápia, frango ou contra filé, todos os ingredientes comprovadamente orgânicos. Os preços variam de R$ 9,90 a R$17,50. Saiba mais em www.bigbamboo.com.br

Revelação: Quinta Santa Maria (foto divulgação QSM)
Entre 1.200 e 1.300 metros de altitude, em São Joaquim, estão os vinhedos da Quinta Santa Maria. Em um jantar harmonizado no Costão do Santinho, os proprietários da Vinícola apresentaram, em petit comitèe, o vinho Utopia – destaque meu para o de safra 2008 -, um corte de cabernet sauvignon e merlot, elegante e com potencial de guarda. O Portento, branco ou tinto, uma versão catarinense para os vinhos fortificados do Douro, certamente será uma das estrelas da QSM. Mais um fato que confirma a vocação daquela região de Santa Catarina como uma das mais importantes do país na produção de bons vinhos. Utopia Safra 2006 a R$ 84 a garrafa. A Essen Vinhos, em Florianópolis, é distribuidora exclusiva.





Presentes de comer e beber
• Panetones artesanais Pão da Casa: artesanais, com fermentação natural, sem conservantes, recheados, cobertos, e decorados com chocolate. Vêm em práticas latas de alumínio, que depois se tornam embalagens para guardar alimentos. (foto divulgação Pão da Casa)
• Cestas diferenciadas de Natal, destaque para a Cesta Diet nas lojas Syga Verde (foto divulgação Syga Verde)
• Cestas temáticas e também personalizadas do Emporium Bocaiuva, com produtos exclusivos (foto divulgação Emporium)

Cupcakes de Natal (foto divulgação Atelier Chez POPI)
Anna Paula fazia bijoux e balangandãs até que se apaixonou pelos cupcakes, e agora faz os três. A dona do Atelier Chez POPI tem um blog muito interessante e divertido, e é quem dá as dicas para fazer essas delícias. Segundo ela, “não tem mistério, é só seguir o passo a passo”.

Massa:
200g de manteiga sem sal (temperatura ambiente)
200g de açúcar de confeiteiro
200g de farinha de trigo
1 colher de chá (rasa) de fermento
3 ovos
4 colheres de sopa de leite
1 colher de chá de essência de baunilha

12 forminhas próprias para cupcake

1. Bata o açúcar e a manteiga até que a mistura fique bem cremosa e clarinha. Acrescente os ovos, um a um, batendo bem. Entre um ovo e outro acrescente uma parte do trigo.
2. Coloque o leite, o restante do trigo, o fermento e a essência de baunilha, batendo até incorporar bem toda a massa.
3. Preencha 2/3 das forminhas e leve ao forno pré-aquecido por 30/40 minutos, até dourar. Deixe esfriar.

Glacê Real
Clara de um ovo
150g de açúcar de confeiteiro
Suco de meio limão siciliano coado

1. Bata o açúcar de confeiteiro e a clara até obter uma mistura homogênea.
2. Adicione aos poucos o suco de limão sem parar de bater. Caso o glacê fique muito líquido e escorra na hora de aplicá-lo, é sinal que não esta no ponto: acrescente mais açúcar de confeiteiro.
3. Com o auxílio de uma colher, aplique a cobertura sobre o cupcake frio e decore a gosto. Espere até a cobertura de glacê endurecer.

Cobertura de Butter Cream (creme de manteiga)
100g de manteiga
200g de açúcar de confeiteiro
Uma pitada de sal
2 colheres de sopa de leite

1. Bata bem a manteiga o açúcar por uns 2 minutos. Acrescente a pitada de sal, continue batendo. Adicione o leite e aumente a potência, batendo até ficar a mistura ficar bem clarinha.
2. Se você achar que não ficou consistente, acrescente mais açúcar de confeiteiro.
3. Essa cobertura pode ser tingida com o corante comestível nas cores da sua preferência. Decore cada cupcake utilizando o saco de confeiteiro e bicos variados, é só deixar a imaginação fluir!

Agradecimento: Chef Anna Paula, do Atelier Chez POPI. Informações (48) 9981-4079 e www.paulapopi.blogspot.com

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Big Bamboo no Terra Madre Day

No dia 10 de dezembro será realizado o Terra Madre Day, uma comemoração mundial e simultânea em mais de 150 países. As comemorações do Terra Madre Day chamam a atenção sobre a importância do “comer local” e proclamam o direito de todas as comunidades a reivindicarem o acesso a uma alimentação de qualidade; a necessidade de tutelar a biodiversidade agrícola e alimentar, e de promover a produção alimentar de pequena escala, baseada nas comunidades locais, dona de saberes e tradições capazes de garantir um futuro melhor.

Em Florianópolis, o Big Bamboo Restaurante participa das comemorações. No dia 10 de dezembro todos que forem almoçar ou jantar no restaurante receberão de cortesia uma mini salada orgânica, feita com produtos locais, oriundos de Santo Amaro do Imperatriz e Paulo Lopes.

sexta-feira, dezembro 04, 2009

04/12/2009 - Frutos não caem longe do pé

EDIÇÃO DE 04/12/2009 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, POR LUCIANE DAUX

(ilustração divulgação)
Semana passada fui ao show de Maria Rita. A voz que emociona (linda, linda e muito parecida com a da mãe, Elis Regina) me fez pensar se talento se herda geneticamente. Penso que sim, mas que o talento geneticamente herdado não emerge exceto em condições favoráveis. E na cozinha, isso também vale? Claro que sim. Senão vejamos: o pequeno Gabriel que faz dupla com o pai, o Chef Leno Durrewal, Valderez e Tatiana – mãe e filha – que têm juntas uma escola de culinária e Giulia e Ézio Librizzi (filha e pai), apaixonados pela gastronomia italiana, para falar daqueles que atuam profissionalmente. Os exemplos mais comuns estão nas nossas casas, quando nossas mães e avós despertam o gosto pela cozinha em nós, e o transmitimos aos nossos filhos!

Fazendo panetone
Já pensou em presentear neste Natal delícias exclusivas feitas por você? As professoras Valderez e Tatiana (mãe e filha), da Oficina Culinária Floripa, prepararam cursos especiais para quem quer aprender a fazer panetone, bolo de Natal, biscoitos decorados ou mesmo a ceia inteira. A partir de R$ 60 por aula. Mais informações em WWW.oficinaculinariafloripa.com.br ou pelo fone (48)3334-0372.

Comer e Beber
A Revista Veja divulgou essa semana sua aguardada premiação Comer e Beber SC, versão 2009/2010. Alguns destaques de Florianópolis: Lombardo Pão Italiano (melhor pão), Restaurante Central (melhor bom e barato), Ostradamus (melhor ostra), Santa Hora (melhor happy hour) e Vitor Gomes, que levou dois prêmios: Café Riso (melhor variado) e Chef do Ano, pelo segundo ano consecutivo. Parabéns aos vencedores e aos indicados! A verdade é que a nossa gastronomia está cada vez mais profissional, e não fica devendo nada aos grandes centros, o que é ótimo especialmente para quem gosta de comer bem.

Tal pai, tal filha (foto Giulia Librizzi divulgação)
Giulia, filha de Ézio Librizzi (Macarronada Italiana), herdou do pai o gosto pela cozinha italiana. Estagiou no tradicional Fasano, em São Paulo, e diplomou-se como Chef Internacional e Patissier em 2008 pela Unisul. Para complementar seus estudos, foi para a Itália, onde cursou o ICIF, além de ter feito estágios em vários restaurantes. Hoje Giulia assina algumas das mais saborosas sobremesas da Macarronada Italiana.






Petit Gâteau de Limão Siciliano (foto Macarronada Italiana)
(Chef Giulia Librizzi)
50g de claras de ovo
40g de glaçúcar
64g de farinha de amêndoa
30g de farinha de trigo
50g de manteiga

Recheio Ganache de limão:
200 g de chocolate branco
suco de meio limão siciliano
raspa da casca de meio limão siciliano
100 g de creme de leite
4 ml de Limoncello (licor de limão siciliano)

1. Leve o creme de leite à fervura. Numa tigela, coloque o chocolate branco ralado e junte o creme de leite fervente.
2. Adicione o suco e a raspa de limão e o licor, mexa até incorporar. Faça bolinhas e reserve.
3. Na batedeira, bata as claras e o glaçúcar até formar um merengue. Tire da batedeira, junte as farinhas e por último a manteiga e com uma colher.
4. Com a massa, forre o fundo e as laterais da forminha de petit gateau untada. Recheie com as bolinhas de ganache e cubra com mais massa.
5. Asse em forno pré-aquecido a 180° por cerca de 10 minutos.
6. Sirva imediatamente acompanhado de calda de chocolate.
7. Rendimento: 4 porções.

Torta de bananas (foto divulgação)
(do caderno de receitas da minha mãe)
Minha mãe era excelente cozinheira. Não que criasse grandes receitas, mas tudo o que fazia, fazia bem. Essa torta ela aprendeu com a minha tia-avó Olga, e eu aprendi em casa. Era a sobremesa preferida do meu pai.


12 bananas brancas
6 gemas
12 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de manteiga
½ xícara (chá) de leite
Canela a gosto
Manteiga para fritar

Merengue:
6 claras
12 colheres (sopa) de açúcar

1. Descasque as bananas e corte-as ao meio, no sentido longitudinal.
2. Frite-as em fogo baixo na manteiga, até dourar, e disponha-as num refratário médio, em uma camada única.
3. Bata bem as gemas com o açúcar, até obter um creme bem claro. Junte o leite, a canela e a manteiga e coloque sobre as bananas fritas.
4. Bata as claras em neve e junte o açúcar aos poucos. Espalhe sobre as bananas e a gemada.
5. Leve ao forno baixo (180oC) pré-aquecido por 20 a 30 minutos, ou até dourar.
6. Sirva quente ou fria.

quarta-feira, dezembro 02, 2009

Julie&Julia


Uma das coisas que mais gosto de fazer quando viajo é ir ao cinema. Pois foi o que fiz. Depois de cumprida a agenda profissional, peguei um taxi e fui ao shopping center mais perto do hotel. De dedos cruzados, fui à bilheteria ver o que estava passando. Lá estava ele: Julie&Julia. Estava ansiosíssima por assistir, e agoniada porque o filme estava demorando a estrear em Florianópolis. Mas lá estava. Comprei meu ticket, uma pipoca (média ...) e lá fui eu.


Julie&Julia conta a história da vida de Julia Child que, incialmente, afim de ocupar seu tempo, decidiu por fazer um curso de culinária na Le Cordon Bleu de Paris, enquanto seu marido trabalhava. O fato é que ela, que já gostava de gastronomia, se dedicou com tanto gosto à arte que escreveu livros sobre o assunto. Julie também apresentou na televisão, por muitos anos, um programa de culinária. A história de Julia é recontada por Julie Powell que, perto de completar 30 anos, decidiu mudar a sua vida sem-graça, executando uma a uma as receitas do livro Mastering the Art of French Cooking, de Julie Child, durante 365 dias, tudo relatado no blog de Julia (Julie/Julia Project), que acabou se tornando um sucesso.

Assista o trailler aqui.

Vale a pena pela atuação de Meryl Streep, e pelas dicas de culinárias dadas no decorrer do filme. Baseado na vida real dessas duas mulheres, o filme é muito bom, mas apesar disso, confesso que esperava um pouco mais. Talvez pela diretora ser Norah Ephron - adoro o trabalho dela (Sleepless in Seattle e You've got mail - esse último um dos meus filmes favoritos - e When Harry met Sally, neste como roteirista).

Assistam e depois me contem!
Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu