Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

segunda-feira, setembro 07, 2009

28/08/2009 - Por Tutatis!

EDIÇÃO DE 28/08/2009 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, POR LUCIANE DAUX

(ilustração divulgação)
A refeição preferida de Obelix é javali. Inteiro... Estou falando do melhor amigo de Asterix, o gaulês, ambos personagens de quadrinhos criados em 1959 na França, por Uderzo e Goscinny. Obelix é o mais simpático dos personagens da saga e, a despeito do seu tamanho superlativo, é quem dá leveza às histórias. Já foi interpretado no cinema por Gerard Depardieu. Se você nunca leu ou viu Asterix e Obelix, está perdendo uma das formas mais divertidas de conhecer a história da Europa, contada de forma original.

Em Paris, comendo como Obelix ... (foto divulgação)
Uma taberna que é uma aventura sem igual: Nos ancêtres les gaulois (Nossos ancestrais os gauleses). O restaurante é rústico, e é servido por garçons vestidos como gauleses, inclusive aquele chapéu esquisito do Asterix. Sobre as mesas muito pequenas, além de uma cesta gigante de legumes e verduras in natura, de onde tiramos a nossa própria salada, também estão canecas de estanho, para “colher” (a expressão é do garçon ...) o vinho à vontade nos tonéis de madeira. O serviço é um Buffet de comidas simples, porém saborosas, com carnes grelhadas. A especialidade? Javali, claro. O jantar para uma pessoa sai em torno de 40 euros (R$ 110). No mínimo, é divertido, por Belenos! 39, rue Saint-Louis-en-l'Ile, Paris, França.

4ª Benefest (foto divulgação)
Neste domingo, a 4ª edição da feijoada que arrecada fundos para o Projeto Oficina do Saber, coordenado pelo Padre Vilson Groh. Quitutes ao encargo do Galpão Pegorini, Styllu’s Buffet, Píer 54, Quinta da Bica D’Água, entre outros colaboradores. Faça parte da festa que faz o bem! Camisetas a R$ 60, a venda nos Supermercados Imperatriz da Mauro Ramos, Shopping Beiramar e Córrego Grande
Quando: 30/08, no LIC, em Florianópolis, das 11 às 18 horas.

Passaporte do Sabor (foto SENAC)
Os interessados pela gastronomia têm um motivo a mais para procurar os cursos oferecidos pela Faculdade Senac Florianópolis, que lançou recentemente o Passaporte do Sabor. Ele funciona como um programa de fidelidade, similar a um passaporte de viagem, que permite ao aluno acumular pontos a cada curso realizado. Os pontos são trocados por descontos na matrícula de um novo curso na área. Para conhecer mais sobre o programa e os cursos de gastronomia disponíveis no Senac o site é http://www.sc.senac.br/florianopolis





Para colecionar
Diz-se que o Coq au Vin (galo no vinho) é uma velha receita da Auvergne, antiga província francesa da época do império romano. Sua origem remonta a Júlio César, que conquistou a Auvergne entre os anos 58 e 51 a.C, durante a campanha da Gália.

Coq au Vin (foto divulgação)
(Do caderno de receitas de Dauth Emmendorfer)
1 Kg sobrecoxa de galo (substitua por sobrecoxa de frango sem pele)
1 l de vinho tinto seco
1 colher (chá) de gengibre
4 dentes de alho
6 folhas de louro
3 folhas de manjericão
1 xícara (chá) de cebolinha verde
2 cebolas cortadas em 8 partes
1 pimentão vermelho picado
1 cenoura picada
200 g de polpa tomate
1 pacote creme ou sopa de cebola
sal, açúcar a gosto

1. Prepare uma vinha d'alho com todos os ingredientes, exceto as folhas de louro, o creme de cebola, a polpa de tomate e a cebolinha verde.
2. Deposite ali as sobrecoxas e deixe-as marinar durante 3 horas, aproximadamente.
3. Retire as sobrecoxas e reserve. Bata a marinada no liquidificador junto com o creme de cebola. Adicione a cebolinha verde bem picada e o louro e reserve.
4. Frite as sobrecoxas para firmar e dourar a carne, com uma pitada de açúcar. Misture-as ao molho e deixe cozinhar por 20 a 30 minutos, acrescentando um pouco de água, se necessário.
5. Sirva com arroz branco.

Javali ao vinho tinto (foto Arquivo pessoal/ND)
“Este preparo é a moda do caçador, para ser prático e possível de fazer em qualquer lugar. Algumas receitas recomendam o forno, mas nem sempre é possível encontrar estrutura na rusticidade dos locais de caça. A idéia é mostrar que pode ser feito sem grandes sofisticações este prato tão gostoso.” (Eugênio Carlos Evangelista Vieira, caçador de javalis e autor da receita)

1 a 1,3 kg de carne de javali cortada em pedaços
1 garrafa de vinho tinto seco
1 cenoura cortada em rodelas
1 cebola picada
4 dentes de alho esmagados
2 folhas de louro
Salsinha
Alecrim
Tomilho (se quiser)
Sal e pimenta do reino moída a gosto
Manteiga

1. Junte todos os ingredientes numa marinada, exceto o sal e a pimenta-do-reino moída. Deixe a carne marinar por 24 horas (travessa de vidro ou cerâmica, não use alumínio) , em geladeira, virando-a várias vezes.
2. Retire o javali dessa marinada e coe o vinho, descartando os legumes e temperos.
3. Tempere com sal e pimenta.
4. Aqueça a panela e coloque manteiga para fritar os pedaços de javali, até que fiquem dourados. Reserve.
5. Com a panela ainda no fogo, acrescente o vinho da marinada. Coloque o javali e deixe cozinhar por, aproximadamente, uma hora, em fogo baixo. O vinho vai reduzir (se achar que secou muito, coloque um pouco de água).
6. Sirva com polenta ou massa.
7. Para beber, na opinião de Eugênio, os vinhos de uva Tannat, em especial os uruguaios, harmonizam muito bem com carne de caça. Depois um bom charuto e um destilado.

2 comentários:

  1. Não tenho nenhuma vontade de ir a Paris, mas depois desta coluna...
    Ir nesta taberna me parece ótimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, já é uma boa razão para ir à Paris, João rs O lugar realmente é inusitado.

      Excluir

Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu