Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

sexta-feira, julho 03, 2009

03/07/2009 - Polenta

EDIÇÃO DE 03/07/2009 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, POR LUCIANE DAUX




A Itália é o berço da polenta, principalmente na região do Veneto, onde era feita de grãos de farro (um cereal como uma fava) esmagados e ervas. Esses ingredientes eram cozidos na água, resultando a polenta daquela longínqua época. Somente a partir de 1492, com a descoberta da América por Cristovão Colombo, é que a polenta passou a ser feita como a conhecemos, com a farinha do milho (originário das Américas). Pelo seu baixo custo, passou a ocupar lugar de destaque na mesa, junto com o pão e o macarrão. Versátil, pode ser servida mole, cortada, frita, recheada, grelhada, entre outros, e acompanha bem pratos com molho. Vamos nos armar de colher de pau e caçarola, e mãos à polenta! (foto DIVULGAÇÃO)

Versatilidade
O acréscimo de um simples ingrediente pode mudar completamente seu prato. Veja:
Polenta sofisticada - acrescente, ao final do cozimento, umas 3 colheres de sopa de queijo roquefort (na proporção de 1 colher de sopa por pessoa/porção). Apenas cuide com o sal, pois este queijo já é bastante salgado. Vai bem com carnes sem molho, e até sozinha!
Polenta provençal - acrescente folhas de alecrim picadas à massa da polenta um pouco mais dura. Depois de fria, corte e frite em imersão até dourar.
Polenta na salada – faça a massa de polenta para fritar. Corte em círculos de 5 cm de diâmetro, unte com azeite de oliva e grelhe. Sirva numa salada, intercalada por fatias de tomate.


Trufas no Emporium Jazz (foto EMPORIUM BOCAIUVA)
A trufa – ou "diamante negro”, pela sua raridade -, nasce sob a terra, a uma profundidade de 20 a 40 centímetros, próximo à raiz de carvalhos e castanheiras. Aos 18 anos, Claudio Savitar já era um tartufaio, ou caçador de trufas, na Toscana/Itália, sua terra natal. Hoje ele é um dos maiores exportadoras de trufas brancas e negras, azeite trufados, molhos prontos, manteigas e patês, entre outros produtos que abastecem o Copacabana Palace, o Fasano e o D.O.M., por exemplo. Neste sábado, o tartufaio estará em Florianópolis apresentando pratos especiais com a iguaria.
Dia 04/07/09 – sábado, a partir das 12 horas
Emporium Bocaiúva – Rua Bocaiúva, 1901 – Fone 3224-1670

Best buy (foto DIVULGAÇÃO La Cuisine)
As panelas La Cuisine chegaram para ocupar o espaço criado pelo preço exorbitante das panelas Le Creuset. Tão eficiente quanto, e com o mesmo efeito, são de ferro fundido e esmaltadas, como as da concorrente, ótimas para cozimentos lentos, como a polenta. Enquanto na http://www.pepper.com.br/ uma caçarola Le Creuset de 24cm de diâmetro custa R$ 749.00, na http://www.shoptime.com.br/, a caçarola de 23 cm de diâmetro da La Cuisine custa R$ 129.00 Adorei! Pesquisa de preço é ferramenta fundamental nesses nossos dias.










Polenta com trufas (foto DIVULGAÇÃO)
(Chef Claudio Savitar)
200 g de polenta com trufas Savitar*
1,2 l de caldo (de carne ou vegetais)
Sal
30 g de queijo parmesão ralado
50 g de manteiga de trufas*

Adicione lentamente a polenta ao caldo fervente.
Misture continuamente, para evitar grumos, por uns 7 minutos até cozinhar.
Finalize com uma colher de manteiga de trufas Savitar e sirva quente.

*Nota da Luciane: você pode substituir esses ingredientes por fubá Mimoso e manteiga sem sal.

Para colecionar
Ragu de carne seca com polenta (foto DIVULGAÇÃO)
(do meu caderno de receitas)
500 g de carne seca demolhada
4 colheres de sopa de azeite de oliva
100 g de bacon picado em cubos pequenos
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 tomate médio sem pele e sem sementes picado
1 cenoura pequena picada em pedaços pequenos
1/2 xícara de chá de salsinha picada
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Para a polenta:
1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de milho pré-cozida*
3 xícaras de água fria
3 xícaras de água fervente
2 sachês de caldo de carne com baixo teor de sódio

1. Refogue a cebola e o alho no azeite de oliva.
2. Pique a carne seca em pedaços bem pequenos, junte ao refogado. Deixe dourar, junte a cenoura, o tomate. Mexa, acrescentando água aos poucos, pelo tempo necessário até que a carne seca esteja macia (em torno de 40 minutos). Acerte o sal e a pimenta do reino.
3. Para a polenta, desmanche a farinha de milho (milharina ou polentina) nas três xícaras de água fria. Assim que desmanchar todos os grumos, juntar à água fervente, no fogo, mexendo sem parar, por 8 minutos depois que ferver.
4. Numa travessa funda, coloque a polenta “mole” e despeje sobre ela o ragu de carne seca.
5. Polvilhe com a salsinha picada e sirva.
6. Rendimento: 6 porções.
7. *Nota: pode ser usada a farinha de milho em substituição à milharina ou polentina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu