Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

segunda-feira, abril 27, 2009

24/04/2009 - Flores lindas de comer!

EDIÇÃO DE 24/04/2009 DA COLUNA COZINHA DE ESTAR/JORNAL NOTÍCIAS DO DIA, POR LUCIANE DAUX

Edição de 17/04/2009 da Coluna Cozinha de Estar, Jornal Notícias do Dia (Florianópolis SC)

Flores lindas de comer!
(foto Luciane Daux)
Flores sempre formam uma imagem agradável e alegre. Pois saiba que além de enfeitarem, algumas espécies são, também, comestíveis, e têm um paladar bastante peculiar.
As mais tradicionais são a capuchinha, o amor-perfeito, a calêndula e até a rosa, mas há ainda outras espécies no mercado. Vão bem guarnecendo pratos salgados, e também os doces, em especial o amor-perfeito.
No entanto, é importante lembrar que só se usam as flores comestíveis cultivadas para este fim, pois as comercializadas em floriculturas normalmente têm agrotóxicos, altamente impróprios para consumo.
Se você está achando uma extravagância isso de comer flores, vai se surpreender quando se der conta que elas estão no dia-a-dia da nossa alimentação, sem que percebamos. A alcaparra é o botão de uma flor. Também são flores o brócolis, a couve-flor e a alcachofra. E a flor de abobrinha italiana (foto), quando recheada com ricota e nozes, por exemplo, é um prato requintadíssimo. Surpresa!

Dica: amor perfeito glaçado
Para fazer amor-perfeito glaçado, basta passá-lo em clara de ovo batida com um pouco de água, e polvilhá-lo com açúcar refinado. Uma delícia – e uma beleza para enfeitar tortas, sorvetes e docinhos em geral. Se o amor-perfeito tiver sido produzido sem agrotóxico, pode-se comê-lo glaçado.

Para saber: alcaparras
O uso de flores na alimentação é bastante antigo. Há registros, por exemplo, na antiga Grécia, do uso do botão da flor de alcaparra como calmante. Os botões de suas folhas são ricos em cálcio, ferro e fósforo. (foto divulgação)


Para ler (foto Siciliano divulgação)
Calor. Bill Buford. Editora Cia das Letras, 424 páginas. O autor mergulha no mundo real da gastronomia, e torna-se um “escravo de cozinha” (são aqueles que trabalham sem ganhar – e às vezes até pagam – para aprender em grandes cozinhas), como ele mesmo se descreve, para conhecer de perto e poder contar a história real de Mario Batali, um dos mais famosos Chefs italianos radicados nos EUA. No decorrer do livro, Buford resolve refazer o trajeto da formação de Batali. Em pequenos burgos da Itália, ele aprende os segredos do macarrão artesanal, e vai trabalhar num açougue muito peculiar, em que o dono recita Dante e escuta Mozart enquanto desossa bois inteiros. Traz algumas receitas, entre as quais o ragu tradicional italiano, com leite, que já experimentei e adorei. Um daqueles livros que você lamenta quando chega ao final. Melhor preço hoje R$ 52,00 na http://www.saraiva.com.br/





Para colecionar
Salmão grelhado com três pimentas e flores

(foto Paulo Lohn)
4 filés de lombo de salmão de 150 g cada
1 colher de sopa de pimenta do reino preta
1 colher de sopa de pimenta verde desidratada
1 colher de sopa de pimenta rosa
azeite de oliva extra virgem
sal a gosto
2 carambolas maduras
1 colher de sopa de açúcar
8 capuchinhas comestíveis
8 amor-perfeito comestíveis

Junte as pimentas das três cores num pilão e amasse-as, até que se quebrem bem. Salgue os filés de lombo de salmão e passe-os pelas pimentas amassadas, cobrindo todos os lados do peixe.
Numa grelha, aqueça bem o azeite de oliva e doure levemente o salmão dos dois lados, cuidando que fique ainda tenro no centro. Retire e reserve, mantendo aquecido.
Corte as carambolas em fatias de 1 cm de espessura e polvilhe com açúcar, dos dois lados. Leve as fatias de carambola à grelha rapidamente, até que dourem.
Monte o prato com o filé de lombo de salmão, as fatias de carambola e as flores comestíveis.
Rende 4 porções.

Crostini de Couve-Flor (foto divulgação)
1 pé de couve-flor
4 colheres de sopa de manteiga
1 xícara de chá bem cheia de farinha de trigo
4 ovos
8 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
1 pitada de noz moscada
farinha de rosca
sal a gosto

1. Separe os buquês do pé de couve-flor e pique o talo em rodelas de 0,5 cm.
2. Salgue água fervente e cozinhe a couve-flor por 10 minutos. Escorra e pique.
3. Ligue o forno à temperatura média.
4. Aqueça 250 ml de água, junte a manteiga em pedaços. Deixe ferver em fogo médio, retire do fogo, junte a farinha de trigo de uma só vez e misture energicamente com uma colher. Não se preocupe, a massa não vai empelotar.
5. Volte a panela ao fogo e, mexendo sem parar, cozinhe por 10 minutos. A mistura deve ficar lisa e consistente, até que se desprenda do fundo da panela. Retire do fogo e deixe esfriar, sem parar de mexer.
6. Um por vez, adicione os ovos à massa até que fiquem bem incorporados. Junte a couve-flor, o queijo ralado e a noz moscada. Transfira a mistura para um refratário untado com manteiga e polvilhado com farinha de rosca.
7. Leve ao forno por cerca de 20 minutos, ou até que crie uma camada dourada por cima. Corte em fatias e sirva.
8. Rende 6 porções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu