Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

domingo, março 08, 2009

13/02/2009 - Cozinha Croata

Edição de 13/02/2009 do Jornal Notícias do Dia/Florianópolis SC

Cozinha croata (foto divulgação)
Existem poucas maneiras mais agradáveis de descobrir uma cultura do que através da sua gastronomia. Dubrovnik, sul da Croácia, patrimônio histórico da humanidade. Não sem razão, é chamada de Pérola do Adriático. Chegar por mar àquele porto é uma experiência etérea, como a própria cidade histórica o é. Vendo a fortaleza datada do século XIII, de cima das altas muralhas que a circundam, os telhados vermelhos (novos, por obra da reconstrução coordenada pela UNESCO, depois da terrível guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995) contrastam com o cristalino azul do mar. Pela proximidade geográfica, a cozinha croata pode lembrar muito a italiana, como na receita de lagostins. Mas o que realmente conta são as particularidades da cozinha eslava, como o Goulash. Fazem sorvetes fantásticos, e mesmo o sabor chamado “dolce vita” não poderia ser mais croata: base de nata, frutas vermelhas, mel, perfume de trufas, e pedacinhos de chocolate. À beira do pequeno porto, sentamos num boteco simples para comer ostras naturais, camarões puxados com alho e ervas, mariscos ao bafo (servido com um pão com ervas, para depois você molhar no caldo do fundo da tigela), beber vodka croata, experimentar grappas aromatizadas com ervas, cereja ou mel. Sabores para nunca se esquecer!

Vinhos da Croácia (foto Luciane Daux/divulgação)
No ano 1.000 a.C., ao longo da costa adriática, a vinicultura já era praticada. Os gregos fundaram, a partir do ano 600 a.C. algumas colônias por ali. Dessa época, resultou a conhecida inscrição "refeição festiva dos sábios", na qual o excelente vinho da Antigüidade era citado. O imperador romano Probus (232-282) estimulou a vinicultura, no século III d.C, o que foi continuado pelos eslavos durante sete séculos. Os croatas desenvolveram, na Dalmácia, a vinicultura, o cultivo das oliveiras e a pesca como atividades econômicas principais. No sul, fica a costa croata, de clima mediterrâneo, onde predomina o vinho tinto. Os vinhos croatas são apreciados no mundo inteiro, entre eles o Crljenac Kastelanski, Peljesac Refosk. As uvas internacionais são Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Gamay (Borgonja), Merlot, Muscat Blanc (Muskat Momjanski), Pinot Blanc e Pinot Noir. (fonte: www.adega24.com)

Você sabia? (foto Dominó do Estimado - divulgação)
... que o professor Jorge Seara Polidoro, do Dominó do Estimado, uma das grandes figuras da nossa cidade, é o maior colecionador das receitas desta coluna? “Seu” Poliba tem todas as receitas publicadas, encadernadas em dois volumes!

Para colecionar
Lagostins à Croácia
(foto divulgação)
2 lagostins inteiros com cabeça100 ml de azeite de oliva50 g de manteiga3 dentes de alho laminados2 tomates grandes e maduros cortados em pequenos cubos (sem sementes)16 tomates-cereja pequenos e maduros50 g de azeitona preta fatiada1 colher (sobremesa) de endro200 g de linguinisal e pimenta-do-reino a gosto

Preparo:
Parta os lagostins em duas partes e tempere-as com sal e pimenta-do-reino.2. Em uma frigideira, com uma parte do azeite, coloque os lagostins para grelhar. Mantenha a frigideira tampada para que o vapor cozinhe melhor os lagostins.
Cozinhe os linguini em água e sal até ficar al dente; reserve.
Em outra panela, refogue o alho na manteiga e azeite. Aos poucos, junte todos os ingredientes e, por último, o penne. Misture bem.
Em um prato, coloque a massa por baixo e no centro os lagostins. Decore com ramos de cebolinha.
Os lagostins podem ser substituídos por 300 g de camarões.
Fonte: Chef César Santos (adaptado).


Goulash de Cogumelos (foto divulgação)
3 colheres (sopa) de polpa de tomate1 colher (chá) de paprika1 colher (sopa) de cominho2 colheres (sopa) de manteiga200 g de cogumelos frescos500 g de batatas1 sachê de caldo de galinha em pó (sem gordura)gotas de sumo de limão3 dentes de alho2 cebolas picadas
1 pimentão vermelho em rodelaspimentasal

Refogue a cebola na manteiga, até murcharem.
Junte os cogumelos bem lavados e o alho. Tampe e deixe cozinhar por 10 minutos em fogo baixo.
Acrescente o caldo de galinha, 100 ml de água, as batatas, o louro, as rodelas de pimentão vermelho, cominho e a polpa de tomate. Tampe e deixe cozinhar por 15 minutos ou até as batatas estarem cozidas.
Junte a paprika, acerte o sal e sirva bem quente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu