Gastronomia, culinária e outros interesses para os apaixonados
pelo prazer de cozinhar, comer bem e harmonizar.

Por Luciane Daux

sexta-feira, outubro 31, 2008

04/10/2008 - COZINHA DE ESTAR: SUA MAJESTADE, A OSTRA

Edição de 04/10/2008 - Jornal Notícias do Dia

SUA MAJESTADE, A OSTRA
É só abrir o cardápio dos melhores restaurantes de São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, etc. Lá estão, em destaque: “Ostras de Santa Catarina”. O peito infla, e você tem vontade de levantar, e dizer: são da minha terra!
SC é o maior produtor de ostras do Brasil, abastecendo 80% do mercado nacional. A maior parte desse cultivo ( perto de 90%) é realizada na região da Grande Florianópolis - em especial nas baías, enseadas e estuários -, entre a Ilha de SC e o continente, por conta das águas calmas e correntes frias. A época da “colheita”, quando a água do mar ainda está suficientemente fria, é em outubro.
Além de saborosa, a carne da ostra é extremamente nutritiva, mesmo tendo poucas calorias. Rica em proteínas e vitaminas A, B e D, possui alto teor de ferro, fósforo, cálcio, selênio e zinco.

SERVIÇO:
10ª FENAOSTRA INICIA NESTA TERÇA-FEIRA
De 7 a 12 de outubro/08, no Centrosul, em Florianópolis. Sabores da gastronomia regional - em especial da maricultura, concursos, seminários, e mais de 50 atrações culturais, no 10º ano da Festa Nacional da Ostra e da Cultura Açoriana.
De 3ª a 5ª, os portões abrem a partir das 17 horas, com ingressos custando R$ 5. Sábado e domingo, a entrada será gratuita das 11h às 17h e, após esse horário, o ingresso custará R$ 5. Para ter acesso ao pavilhão onde haverá shows nacionais, será necessário pagar um adicional. Idosos acima de 65 anos, e crianças de até 10 anos terão entrada livre na festa.
(foto: Luciane Daux)


PARA COMPRAR
FACA DE ABRIR OSTRAS
Feitas em aço inox, tem desenho próprio para abrir o molusco de forma segura
A partir de R$ 8,47 (pela internet http://www.lojadolar.com/)

(foto: divulgação)



PARA LER
Ostras - Com Prazer um Molusco Em Sua Mesa. Denise Becker e Ivan Tafffarel Trois. Editora Papa Livro. Ilustrado com belas fotos, o livro ensina como manter e abrir ostras, entre outras dicas. Traz 22 receitas, entre as mais simples e as sofisticadas. Linguagem fácil e acessível.

PARA SABER
As ostras são moluscos bivalves, ou seja, suas conchas são formadas de duas partes, as valvas, que são mantidas juntas por um ligamento elástico. É ele que possibilita que as conchas permaneçam entreabertas, para que as ostras possam se alimentar.
A formação de uma pérola natural começa quando um corpo estranho desliza para dentro da ostra, entre o manto (o órgão que origina a concha, através da produção de madrepérola) e a concha, o que irrita o manto. A reação natural da ostra é cobrir este corpo estranho para se proteger. O manto cobre a irritação com camadas da mesma substância de madrepérola. Isto eventualmente forma uma pérola.
Portanto, uma pérola é um corpo estranho, coberto com camadas de madrepérola.
Saiba mais em http://hsw.uol.com.br/
(foto: divulgação)


PARA COLECIONAR
OSTRAS AO CHAMPANHE
(para duas pessoas)
12 ostras cruas
150 ml de espumante brut
suco de um limão siciliano
raspas de ½ mão siciliano
dill (endro fresco)
½ pimenta dedo-de-moça, sem sementes
sal grosso

Abra as ostras e solte-as do músculo, mantendo-as na parte côncava da concha. Reserve o líquido que sair delas.
Misture: o líquido das ostras, o espumante brut, o suco de limão siciliano, e as suas raspas. Cubra cada ostra com o molho, uma rodelinha de pimenta dedo-de-moça e leve-as ao forno médio por 10 minutos.
Não é necessário salgar.
Sirva sobre o sal grosso, que ajuda a concha a manter-se equilibrada e quente. Decore com um raminho de dill.

Para acompanhar, um bom espumante brut.


OSTRAS DO RIBEIRAO, COGUMELOS E ASPARGOS

rúcula selvagem
8 pontas de aspargos verdes
4 cogumelos terras altas
8 ostras “baby” do Ribeirão da Ilha

Molho:
150 ml de shoyu (reduza a 50%)
Azeite de oliva
½ pimenta dedo-de-moça sem as sementes

Em água fervente, cozinhe as ostras por 2 a 3 minutos. Retire, abra e mantenha-as na casca, do lado da “barriga” (côncavo), para que o sumo fique preservado.
Monte o fundo do prato com a rúcula selvagem e as pontas de aspargos, previamente branqueadas. Corte os cogumelos em fatias de 0,5 cm e disponha-os, crus, sobre a salada. Por fim, arrume as ostras, aproveitando o sumo para o molho. Passe um fio de azeite de oliva por todo o prato.

Molho:
Pique a pimenta dedo-de-moça, junte ao shoyu reduzido e ao sumo das ostras, e sirva sobre a salada. Se quiser um molho menos “quente”, junte somente a metade da pimenta indicada na receita.

Use pimenta inteiras para decorar.
(foto: RICARDO BRASCHER)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para comentar os posts.
(faça seu comentário ao final de cada post, no símbolo da canetinha).

Obrigada pela visita!

Lu